PS diz a Artur lima não ter memória nem nenhuma vergonha para acusar o governo sobre o CTT

O Grupo Parlamentar do Partido Socialista dos Açores condena as mais recentes declarações do presidente do CDS/PP, Artur Lima, sobre o serviço dos correios no Arquipélago.

Quebrando um consenso estabelecido recentemente, em sede parlamentar – da esquerda à direita -, de responsabilização direta dos CTT pelo o mau serviço de correios prestado nos Açores, o líder centrista, numa refinada desfaçatez, vem agora, sem se perceber bem porquê, atacar o Governo dos Açores sobre este assunto.

O GPPS bem percebe a atabalhoada tentativa do presidente dos CTT em responsabilizar terceiros pelas sucessivas falhas da sua empresa em relação ao serviço postal nos Açores, e até no país, após a privatização, mas não consegue minimamente compreender a atitude do deputado Artur Lima, de desresponsabilização da empresa e de acusação ao Governo Açores, ainda para mais com a argumentação utilizada.

É preciso não ter memória, mas sobretudo não ter nenhuma vergonha, e fazer estas acusações, esquecendo o papel central que o Governo PSD/CDS-PP – espaneficamente apoiado pelo seu vice-presidente, Artur Lima – teve na privatização apressada e danosa das empresas TAP e CTT, que, aliás tiveram como consequência, por um lado o abandono de rotas aéreas, de serviço público, nomeadamente a rota da Horta e, por outro lado, a degradação acentuada do serviço postal na Região. Talvez conviesse lembrar que esta degradação do serviço apenas acontece após a privatização dos CTT.

Este é um claro exemplo de má oposição política – daquela de que não precisamos nos Açores – de um partido, que, neste caso em particular, preferiu fazer propaganda a contribuir para a solução, que preferiu atacar um parceiro de preocupação, a responsabilizar quem, por força de lei, tem a obrigação de resolver o problema e que – podendo fazer pressão, em Lisboa, junto da sua líder partidária para ajudar a resolver o problema – preferiu, para mascarar o seu comprometimento, responsabilizar o governo da sua própria terra.

Mas, mais grave do que o folclore propagandístico promovido pelo CDS/PP, ou das suas responsabilidades – que pouco nos interessam! – nesta matéria, é o facto de esta atitude não contribuir em absolutamente nada para melhorar o serviço prestado pelos CTT na Região.

O GPPS reitera a sua posição de estar sempre disponível para tudo fazer, quer individualmente quer em parceria, para melhorar o serviço de correios nos Açores e apela a outras forças políticas e atores sociais para que façam o mesmo.

Notícias relacionadas