PS/Congresso: Governo e esquerdas vão “trabalhar até ao fim, juntos”

O dirigente do PS e secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, previu hoje que o Governo socialista e os partidos de esquerda vão trabalhar “até ao fim [da legislatura] juntos”.

“Esta maioria produziu grandes resultados. Nós não trocamos de parceiros, vamos continuar a fazer o trabalho com esta maioria. Não é preciso estar sempre a dizer a mesma coisa. Vocês [jornalistas] é que não acreditam. É até ao fim, juntos”, afirmou Pedro Nuno Santos, depois de ouvir o discurso do líder do PS, António Costa, no 22.º Congresso Nacional do partido, na Batalha, distrito de Leiria.

Depois de Costa não ter colocado muito enfâse nas virtudes da atual maioria, um Governo minoritário do PS com o apoio parlamentar do PCP, BE e PEV, o dirigente do PS afirmou que o primeiro-ministro não tem que estar a repetir-se.

“O primeiro-ministro não tem que estar a dizer o mesmo. A opinião dele é mais do que conhecida”, disse Pedro Nuno Santos, que apresentou uma moção setorial ao congresso marcadamente ideológica, em que elogia a atual solução governativa.

Esta maioria, insistiu, “tem funcionado muito bem” e tem apresentado “excelentes resultados económicos e sociais”.

O 22.º Congresso Nacional do PS iniciou-se hoje, na Batalha, distrito de Leiria, com uma homenagem ao líder histórico dos socialistas, Mário Soares, e o discurso de abertura do secretário-geral do partido.

Notícias relacionadas