PS/Açores reconhecido pelo trabalho em proximidade, pela capacidade de cooperação e diálogo com todos

Reforço do trabalho em proximidade e em cooperação, diálogo com todos os parceiros sociais e forças políticas, capacidade para resolver os problemas e a confiança no futuro dos Açorianos, vão continuar a ser bandeiras do Partido Socialista dos Açores, garantiu Francisco César, na abertura das Jornadas Autárquicas que se realizaram este sábado, na Lagoa, sob o lema “Juntos Construímos o Futuro”.

Francisco César defendeu um novo ciclo político: “Este é o momento para iniciarmos um ciclo político de dois anos, um ciclo político em que temos que trabalhar com os nossos autarcas, com os nossos presidentes de junta, com os nossos presidentes de camara. Trabalharmos, é certo, para ganhar as próximas eleições regionais, mas também as eleições autárquicas do próximo ano”.

Francisco César recordou os resultados alcançados nas últimas eleições autárquicas – “tivemos um resultado histórico” – e considerou que hoje, “objetivamente, temos condições para conseguirmos, com o bom trabalho que estamos a fazer em São Miguel, ter um resultado ainda melhor nas próximas eleições autárquicas e ganharmos também na Ribeira Grande e em Ponta Delgada”.

No entanto, reconheceu que há um desafio exigente que se coloca, pelo facto do PS ser, a nível regional uma força maioritária, de ser uma força maioritária a nível das Camaras e de ter o maior número de Juntas de Freguesia: “Como é que nós compatibilizamos uma estratégia regional com aquela que deve ser a estratégia de ação local, ou seja, como é que nós compatibilizamos o interesse de uma Região, de uma Região Autónoma dos Açores que se quer como una, com aquilo que são os objetivos de desenvolvimento das nossas ilhas, dos nossos concelhos e, em particular, da ilha de São Miguel”.

Para Francisco César esse desafio pode ser ultrapassado porque os autarcas do PS têm uma vantagem face aos outros autarcas: “A sua capacidade de cooperação, a sua capacidade de cooperação entre si, mas também a capacidade de cooperação com o Governo Regional. Aliás essa é uma das grandes vantagens do poder local socialista em relação ao Partido Social Democrata. Eu considero muito estranho que uma das principais bandeiras do agora líder do PSD, seja a cooperação entre o Governo Regional e o poder local”.

O desafio também se ultrapassa graças à capacidade de diálogo dos socialistas: “O Governo do PS, a Assembleia, os deputados à Assembleia Legislativa, os nossos autarcas, os nossos responsáveis nas vereações, têm tido essa capacidade de diálogo (…) com todos os parceiros sociais e com os outros partidos políticos”.

Francisco César garantiu, também, que no caso do PS a “confiança no futuro” faz toda a diferença, mas explicou que essa expressão não serve só para pôr numa moção pomposa vazia de ideias, mas sim para ter a capacidade concretizá-la num projeto político para os Açores, um projeto que tem sido construído “em proximidade” com os Açorianos: “O exercício do poder não é compatível com uma gestão de gabinete, ou baseada em documentos (…) É uma gestão baseada na resolução de problemas e de ir aos locais resolver os assunto, falar com as pessoas, resolver os seu problemas. Nós mantemos a capacidade de resolução dos problemas que são colocados à nossa Região”