Pub

A parlamentar, que esteve esta tarde com os seus companheiros do Grupo Parlamentar do PS na Lagoa das Furnas, na ilha de São Miguel, afirma que existem “crescentes evidências do agravamento da eutrofização”, sendo que “é importante combater o impacto negativo nas lagoas dos Açores de décadas e décadas de atividade agropecuária e da presença humana”.

A deputada disse, em declarações aos jornalistas, que com os anteriores governos, socialistas, foi um combate que “mobilizou muitos recursos e investimentos muito consideráveis”.

Célia Pereira recordou, a título de exemplo, a assinatura do Protocolo de Colaboração Técnica e Financeira entre o Governo Regional e o Fundo Ambiental, em agosto de 2020, orçado em 800 mil euros, pelo período de dois anos, visando o tratamento da água das lagoas dos Açores.

A deputada defende a sua continuidade, “independentemente do executivo em funções”, e diz que “não pode ser posto em risco e deitado a perder o impacto das medidas desenvolvidas nos últimos anos”.

“Preocupa-nos muito os sinais de desleixo, e em alguns casos de abandono, destas medidas de acompanhamento, deste controlo ambiental das nossas lagoas”, declara a deputada da oposição.

Na sequência desta deslocação à Lagoa das Furnas, o Grupo Parlamentar do PS/Açores avança com um requerimento na Assembleia Legislativa Regional em que questiona o Governo dos Açores sobre “com que periocidade e com que recursos se realiza, atualmente, o acompanhamento e controle da qualidade ambiental das lagoas de São Miguel e, em particular, da Lagoa das Furnas”, solicitando os relatórios de acompanhamento e controle.

Os socialistas querem ainda apurar “qual o grau de execução financeira e concretização das ações abrangidas pelo Protocolo de Colaboração Técnica e Financeira com o Fundo Ambiental” e “quais os projetos e iniciativas em vigor entre o Governo Regional e os centros de investigação com vista ao acompanhamento e preservação das Lagoas dos Açores”.

Pub