Pub

O grupo parlamentar do PS/Açores criticou hoje o Governo Regional por “nunca” ter atribuído aos bombeiros açorianos um “subsídio de risco como suplemento remuneratório”, acusando o executivo de “empurrar com a barriga para a frente” o assunto.

Na sequência de uma reunião, na terça-feira, com as direções da Federação dos Bombeiros dos Açores e da delegação regional da Associação Nacional de Bombeiros, o PS/Açores diz ser “lamentável” que o Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) “nunca tenha implementado uma resolução do parlamento açoriano, publicada em abril de 2021”.

Citado numa nota de imprensa, o deputado José Ávila lembra que essa resolução recomendava ao executivo que atribuísse aos bombeiros dos Açores um “subsídio de risco como suplemento remuneratório”.

Contudo, salienta o parlamentar socialista, o Governo Regional “escolheu, antes, empurrar com a barriga para a frente, criando mais um grupo de trabalho sobre o modelo de financiamento e Estatuto Social do Bombeiro”.

“O Governo, que afirma tantas vezes que o parlamento é que é o centro da governação açoriana, na hora da verdade, não segue as suas recomendações que, neste caso, trariam alguma justiça para com os bombeiros dos Açores e o PS considera isso lamentável”, aponta o deputado.

José Ávila recorda também que o PS votou favoravelmente duas iniciativas na Assembleia Regional no sentido de “garantir continuidade nos apoios e na valorização da intervenção dos Bombeiros na região”.

O deputado lembra igualmente os apoios concedidos e reforçados por causa da pandemia de covid-19 que, “em termos de apoios de emergência, na passada legislatura, asseguraram um aumento de 17% da comparticipação do Governo com a atualização do regulamento do serviço de transporte de doentes não urgentes” e “injetando” nas Associações de Bombeiros Voluntários “mais 641 mil euros por ano”.

Por outro lado, existiu uma “redução de prazos de pagamento das unidades de saúde e dos hospitais aos bombeiros”, além de “numerosos apoios dos Governos Regionais suportados pelo PS para a aquisição de equipamentos diversos, nomeadamente os de proteção individual”, acrescenta.

Com os Governos Regionais do PS, salienta, “houve sempre abertura para o diálogo e nunca portas fechadas”.

“Os bombeiros, pelas importantes funções que desempenham em prol de todos nós, não deviam ficar a falar sozinhos”, refere, lamentando que o Governo Regional “esteja a evitar reunir com estas instituições”.

“Apoiar os bombeiros deve ser um desígnio constante de qualquer Governo. Para este Governo Regional de direita parece que não é. É assim que se veem, na prática, as diferenças entre um Governo suportado pela esquerda e outro pela direita”, reforça o deputado socialista açoriano.

Pub