PS/A defende que necessidades dos alunos devem ser prioridade para escola pública

André Bradford

“Nós fizemos uma proposta que resulta das nossas convicções sobre o sistema regional de ensino, que pensamos poder ser um contributo positivo para os alunos que precisam de apoio complementar e não têm maneira de o assegurar pelos meios próprios das suas famílias”, afirmou André Bradford no debate sobre o estatuto do aluno, realizado esta quinta-feira na sessão plenária de janeiro do parlamento açoriano.

O Líder Parlamentar do PS/Açores falava no âmbito da proposta de revogação da medida apresentada pelos socialistas no passado mês de novembro, a qual dava oportunidade aos alunos, cujo aproveitamento escolar tenha sido não satisfatório, de ter um apoio extra nas interrupções letivas. André Bradford diz compreender “perfeitamente” que uma medida deste alcance precise ser analisada e articulada com o sistema de ensino: “É perfeitamente natural, também não pretendemos que ela provoque ruído no presente ano letivo da escola pública. Se à oposição se colocam dúvidas ou indignação, é legítimo politicamente, mas nós temos a nossa convicção redobrada após este debate”.

Sónia Nicolau justificou igualmente a posição e motivação do Partido Socialista, argumentando que esta medida de “âmbito social”, permite que todos os alunos da escola pública que necessitem ter um apoio complementar, “e após ter sido encaminhado pelo Conselho de Turma”, possam ter a possibilidade de o solicitar. A deputada da bancada socialista reiterou a ideia de que esta é uma medida “não obrigatória” e está convicta de que este é o “verdadeiro” papel da escola pública, “o de dizer presente às reais necessidades dos alunos”.