Pub

A Masmorra, um projeto que pretende criar um “vínculo entre o social e o artístico”, em Ponta Delgada, Açores, está a lançar uma convocatória destinada à comunidade e LGBTQIAP+, contribuindo para a “inclusão através da arte”.

As candidaturas (‘open-call’) para residências artísticas estão abertas até 30 de setembro e são “exclusivas” para as pessoas LGBTQIAP (lésbicas, gays, bissexuais, transgénero, travesti, queer, intersexual, assexual e pansexual).

“Pareceu-nos bem dar oportunidade à comunidade LGBTQIAP nos Açores para que possam encontrar um espaço. Acho que muitas vezes existe a necessidade de ir para o continente e a ideia era criar este espaço em Ponta Delgada”, explicou a responsável Maria Novo em declarações à agência Lusa.

Vão ser selecionadas 10 propostas de “qualquer área de expressão artística, das quais cinco serão destinadas a artistas residentes na ilha de São Miguel”, existindo, semanalmente, “duas residências em simultâneo”.

“Nesta primeira fase temos a ‘open-call’ para as residências artísticas. A cada semana vamos ter dois artistas que vão estar a desenvolver um projeto e haverá apresentações semanais e, portanto, vamos ter eventos aos sábados”, detalhou.

A responsável pelo projeto explica que a Masmorra “surgiu de uma forma bastante precária” no verão de 2021, motivada pela “necessidade de criar espaços artísticos em Ponta Delgada”, sendo que a inauguração oficial do espaço só vai decorrer no próximo mês de outubro.

O objetivo passa por fazer da masmorra um “armazém bastante hibrido” que não vai ser “nem “uma galeria comercial, nem um espaço convencional”.

“Começou mesmo sendo um garagem e uma produção bastante informal. Também queremos mesmo nas redes proporcionar isso. Queremos ter uma linguagem bastante fluida e quebrar as barreiras sobre o que é um museu ou o que é uma galeria”, vincou.

O projeto pretende ser um “lugar para novos diálogos” e “vincular a experiência da arte com causas sociais e ambientais”, promovendo a “inclusão através da arte”.

Maria Novo realçou ainda que a Masmorra vai ter uma “parceria” com a associação (A)MAR, destinada a apoiar a população LGBTI.

“Temos uma parceria com a (A)MAR para, de alguma forma, trazer conversas a um outro público, um público que muitas vezes não acede a este lado mais social e fazer aí um vinculo entre o social e o artístico”, destacou.

Pub