Pub

A produção em modo biológico nos Açores aumentou mais de 600% em área, entre 2019 e 2022, anunciou hoje o secretário regional da Agricultura, alegando que o futuro passa por uma produção com mais “naturalidade”.

“Temos uma área nos Açores, em 2022, de 3.569 hectares de área biológica. Quando comparada com 2019, houve um aumento de 630% na área. Em 2019, tínhamos 567 hectares”, avançou o titular da pasta da Agricultura nos Açores, António Ventura, em Angra do Heroísmo, na sessão de abertura da sétima edição da Biofeira, organizada pela associação Bio Azórica.

O secretário regional da Agricultura, do executivo PSD/CDS-PP/PPM, que tomou posse em novembro de 2020, salientou que, só no último ano, o crescimento da área em modo de produção biológica foi de “cerca de 200%”.

Quanto ao número de produtores, “aumentou de mais de 130%”, entre 2019 e 2022, o que se refletiu na adesão de mais “100 produtores”.

“Mesmo que não tenhamos produto de imediato, o potencial está instalado. Cada vez mais temos pastagem biológica, cada vez mais temos produtores nas várias áreas”, frisou o governante.

Segundo António Ventura, o Fórum Bio, promovido desde 2021 pelo executivo açoriano em parceria com associações de produtores e municípios, contou com a participação de mais de 1.000 formandos no primeiro ano, que participaram em mais de 50 cursos de formação.

“Foi um sucesso, porque permitiu aumentar quer a área de produção, quer o número de produtores biológicos”, frisou.

O secretário regional da Agricultura destacou o “potencial” dos Açores nesta área, sublinhando que a região tem “uma imagem de naturalidade que já é reconhecida pelos consumidores” e que é “fundamental promover, publicitar e sensibilizar os consumidores que ainda não estão sensibilizados”.

“No futuro, todos vamos ser consumidores deste tipo de agricultura. Por aqui caminham as políticas públicas, quer a nível comunitário, quer a nível nacional, mas principalmente a nível regional”, apontou.

Em 2022, foram apresentadas 64 candidaturas a apoios à certificação de explorações para modo biológico, mas as expectativas do executivo açoriano são de que “para o ano possa haver um maior número de candidaturas”.

“Vamos continuar com os apoios majorados, quer no âmbito do POSEI, quer no âmbito do próximo quadro comunitário de apoio”, assegurou o titular da pasta da Agricultura.

António Ventura assumiu ainda um “compromisso com as novas gerações” de promover a utilização de recursos endógenos “de forma responsável”.

“Leva-nos a criar e a apostar numa política pública para a agricultura que tenha como objetivo principal este modo de produção agrícola, ou seja, modos de produção agrícola com mais naturalidade”, sublinhou.

Pub