Pub

Pelo menos sete pessoas morreram na queda de um viaduto em Génova, no norte de Itália, disse hoje o vice-ministro dos Transportes italiano, Edoardo Rixi, aos meios de comunicação italianos.

Segundo a RaiNews, Edoardo Rixi declarou que pelo menos sete pessoas morreram no colapso da Ponte Morandi, em Génova, e outras quatro foram retiradas com vida dos escombros.

Vinte carros estarão envolvidos no incidente e as equipas de socorro continuam o seu trabalho na procura de mais pessoas com vida, referiu ainda a RaiNews.

“A dimensão é épica, dezenas de mortos estarão entre aqueles que caíram do viaduto ou que ficaram presos sob os escombros. Os bombeiros e as equipas de socorro estão a retirar as vítimas”, declarou o Francesco Bermano, diretor do serviço de emergência 118 de Génova citado pelo jornal La Repubblica.

De acordo com a agência de notícias Associated Press (AP), as autoridades italianas declararam que cerca de 10 veículos estão envolvidos na queda da ponte Morandi, na autoestrada A10, na cidade de Génova, após uma violenta e repentina tempestade.

A emissora privada Sky TG24 informou que uma secção de 200 metros da ponte desabou sobre uma zona industrial e os bombeiros disseram à AP que há preocupações com as linhas de gás.

A polícia referiu antes na rede social Twitter que o colapso ocorreu durante uma violenta e súbita tempestade, enquanto os bombeiros disseram que vários veículos estavam envolvidos, indicando a probabilidade de mortos.

Fotos publicadas pela agência de notícias ANSA no seu portal da Internet mostram um enorme vazio entre duas secções do viaduto da autoestrada.

Um vídeo capturou o som de um homem gritando: “Oh Deus! Oh Deus!”, enquanto outras imagens mostram um camião parado sobre uma das secções, a poucos metros do abismo.

Pub