O presidente da Assembleia dos Açores, Luís Garcia, defendeu hoje, na Comissão Permanente da Conferência das Assembleias Legislativas Regionais Europeias (CALRE), a necessidade de uma “discriminação positiva” na vacinação contra a covid-19 para as regiões ultraperiféricas.

Segundo um comunicado de imprensa, Luís Garcia disse ser necessária “uma discriminação positiva das regiões, especialmente as mais distantes e ultraperiféricas no acesso à vacinação” contra a pandemia da covid-19.

O presidente da Assembleia Regional considerou ser “urgente” a vacinação das regiões com “recursos médicos mais limitados”, referindo o caso do arquipélago açoriano, onde só três das nove ilhas são dotadas de hospital.

O social-democrata realçou ainda a necessidade de os estados-membros da União Europeia (UE) ratificarem o processo da “decisão de recursos próprios”, para que sejam disponibilizados os “recursos financeiros criados pela UE para fazer face à crise pandémica”.

“Um ano é tempo de mais para continuarmos à espera”, assinalou o presidente do parlamento açoriano, citado em comunicado, referindo-se aos recursos financeiros destinados à recuperação económica no âmbito da crise da covid-19.

O presidente da Assembleia Regional incitou os restantes presidentes dos parlamentos regionais a defenderem a “uma só voz” a criação de “instrumentos que permitam uma maior disponibilização e melhor aplicação desses fundos europeus à escala regional e local”.

Em 18 março, o presidente do Governo dos Açores, o social-democrata José Manuel Bolieiro, avançou que estavam a ser feitas “diligências” para criar um ‘lobby’ junto das instituições europeias para a “majoração” na atribuição de vacinas contra a covid-19 para as regiões ultraperiféricas.

A Comissão Permanente da CALRE reúne-se de forma trimestral e integra os presidentes das Assembleias Regionais de Itália, Espanha, Bélgica, Alemanha, Áustria, Reino Unido, Portugal e Finlândia.

Os Açores estimam receber nos meses de maio e junho 99.250 doses de vacinas contra a covid-19, anunciou na quinta-feira o diretor regional da Saúde, acrescentando que será possível concluir antes disso a primeira fase da vacinação.

Os Açores têm atualmente 208 casos ativos de covid-19, sendo 207 em São Miguel (81 no concelho de Ponta Delgada, 66 em Vila Franca do Campo, 38 no concelho do Nordeste, 12 na Ribeira Grande, nove no concelho da Lagoa e um no concelho da Povoação) e um em Santa Maria, na freguesia de Santa Bárbara, do concelho de Vila do Porto.

Desde o início da pandemia foram diagnosticados 4.355 casos positivos de covid-19 nos Açores, tendo recuperado da doença 4.009 pessoas. Foram ainda reportadas desde março de 2020, 30 mortes na região associadas à doença.