Pub

O Presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, sublinhou hoje, em Bruxelas, que o “grande desafio” para as Regiões Ultraperiféricas (RUP) passa por procurar, junto das instâncias europeias, “posições e soluções concretas” que respondam aos seus desafios.

“Ontem, como hoje, o grande desafio está na exigência” que estas regiões, como os Açores, devem continuar a reclamar junto das instâncias europeias, sustentou.

José Manuel Bolieiro falava no Parlamento Europeu, na XXVII Conferência dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas, reunida em Bruxelas entre hoje e quarta-feira.

As “condições e constrangimentos” das RUP, nomeadamente o seu distanciamento e insularidade, devem merecer “reconhecimento em tratado”, mostrando-se o Presidente do Governo satisfeito pelo “impulso” dado recentemente, por exemplo com o revisitar da estratégia para as RUP, na “defesa” destes territórios.

O governante lembrou as várias crises de tempos recentes, como a covid-19, a crise inflacionista ou a guerra, lembrou a importância das comunicações e dos cabos submarinos nestes territórios, e defendeu que, para futuro, haja trabalhos para a criação de um POSEI-Transportes, mecanismo de “combater a distância e a insularidade”.

As RUP, advogou, devem ver “compensado o sobrecusto do transporte, seja marítimo ou aéreo, quer em relação aos bens quer em relação às pessoas”.

A XXVII Conferência dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas aprovará uma declaração final de defesa destes territórios e reforço das relações com as instituições europeias.

Existem nove RUP na União Europeia – Açores, Madeira, Canárias, Guadalupe, Guiana, Martinica, Reunião, Maiote e Saint-Martin.

Pub