“Apesar de alguns avanços já registados, há ainda um importante trabalho a fazer num conjunto de locais, com preponderância para o ‘site’ 3001 e 5001. Nesta matéria, só nos podemos dar todos por satisfeitos quando tudo o que deve ser feito for efetivamente feito, e com resultados inequívocos”, afirmou Vasco Cordeiro, citado numa nota de imprensa.

O líder do executivo regional apontou “a proteção integral da população da Terceira [onde está a base das Lajes] e da qualidade ambiental da ilha, o respeito pelos pareceres técnicos e informação especializada nesta matéria, e a necessidade total e absoluta de transparência quanto à questão” como os pilares que guiam a atuação do Governo dos Açores nesta matéria.

Apelando para uma maior transparência no processo, Vasco Cordeiro defendeu que “a população da Terceira tem o direito a essa informação, até porque se trata da sua terra”.

Em causa estão 10 locais em que a presença de hidrocarbonetos é ainda considerada problemática, tendo o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, adiantado hoje à Lusa que acredita “que é possível resolver as questões relativas a metade deles até à próxima reunião bilateral, que se realiza ainda este ano, em dezembro”.

O chefe da diplomacia portuguesa afirmou que dos restantes cinco, existem dois locais que merecem mais atenção – os chamados sítios 3001 e 5001 – e que foram sobre os trabalhos em curso nestes locais que a comissão se debruçou “mais atentamente”, quanto a possibilidades a desenvolver para resolver os problemas.

Segundo a nota de imprensa do executivo açoriano, na reunião foram, também, tratadas questões laborais, como a execução de um programa de higiene e segurança para os trabalhadores portugueses ao serviço do destacamento norte-americano, ou a cooperação entre os Açores e os EUA, tendo o executivo regional pedido aos EUA apoio na dinamização das ligações entre aquele país e o arquipélago e um maior envolvimento no projeto Terceira Tech Island.

A reunião que se realizou hoje foi a 41.ª da Comissão Bilateral Permanente do Acosto de Cooperação e Defesa entre Portugal e os Estados Unidos da América.

A comissão foi presidida conjuntamente pelo diretor-geral de Política Externa, o embaixador Pedro Costa Pereira, e pela vice-secretária norte-americana para a Europa Ocidental, Julie Fisher, contando com extensas delegações de ambos os lados, com destaque para o embaixador de Portugal nos EUA, Domingos Fezas Vital, e o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, bem como o embaixador dos EUA em Portugal, George Glass.

A próxima reunião da Comissão Bilateral Permanente do Acordo de Cooperação e Defesa entre Portugal e os EUA decorre em dezembro, em Lisboa.