Presidente do Governo dos Açores diz que todas as ilhas estão em recuperação económica

O presidente do Governo Regional dos Açores defendeu hoje que todas as ilhas estão em recuperação económica, incluindo a Terceira, onde a Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo reivindicou recentemente mais investimentos e criticando o executivo açoriano.

“Os bons indicadores económicos e sociais que se têm verificado na região encontram, precisamente na ilha Terceira, um dos seus principais pilares ao nível regional”, disse Vasco Cordeiro, na inauguração do Parque Multissetorial da ilha Terceira, em Angra do Heroísmo.

Na sexta-feira, a Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo aprovou, por unanimidade, um documento de pronúncia por iniciativa própria em que reivindicou a melhoria de acessibilidades por via área e marítima à ilha Terceira e a concretização de investimentos anteriormente prometidos pelo executivo regional.

“A Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo entende ter chegado o momento de, com a máxima urgência, uma vez que os prejuízos para as pessoas e para a economia da ilha Terceira, e por consequência do concelho de Angra do Heroísmo, a isso obrigam, pronunciar-se acerca do seguinte conjunto de situações, as quais exigem, por parte do Governo Regional dos Açores, a concretização imediata dos compromissos há muito assumidos para com a ilha Terceira”, pode ler-se no documento.

O texto foi elaborado em conjunto pelos partidos da oposição (PSD e CDS-PP), mas também pelo PS, em maioria na assembleia municipal e partido que suporta o Governo Regional.

Sem se referir à posição da Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo, Vasco Cordeiro realçou que, nos últimos cinco anos, entre obras já concluídas ou em fase de contratação e execução, o executivo açoriano investiu “mais de 60 milhões de euros” na ilha Terceira, dando como exemplos a construção da nova biblioteca pública e do parque de ciência e tecnologia ou a recuperação de cerca de 400 casas que a Força Aérea norte-americana deixou de utilizar.

O presidente do Governo Regional referiu também um dos investimentos exigidos pelos deputados municipais de Angra do Heroísmo, a construção de um terminal de carga no aeroporto das Lajes, alegando que, apesar de o executivo açoriano ter “lançado o concurso público para a sua construção na anterior legislatura”, só há cerca de 15 dias “viu o procedimento de desafetação do domínio público militar concluído pelo atual Governo da República”.

Vasco Cordeiro realçou que no turismo a ilha Terceira registou, em 2017, um crescimento superior a 11% no número de dormidas e de quase 14% nos proveitos totais, apresentando uma taxa de sazonalidade de 49,4%, inferior à média regional (54,1%).

“Estes bons resultados no combate à sazonalidade devem-se, em grande medida, à forte aposta do Governo dos Açores nas operações de Espanha e dos Estados Unidos da América realizadas durante todo o ano”, frisou.

Por outro lado, salientou que, em 2015, o Produto Interno Bruto (PIB) da ilha Terceira cresceu “acima da média regional, com 6%” e que os dados provisórios de 2016 indicam um valor de riqueza criada (mais de 866 milhões de euros), “superior aos registados antes da crise”.

“Afinal, o tão — por alguns — desprezado, vilipendiado e criticado Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira algum mérito há de ter tido”, sublinhou, referindo-se a um plano apresentado em 2015 para minimizar o impacto da redução militar norte-americana na base das Lajes.

Vasco Cordeiro admitiu que existem “desafios, obstáculos e assuntos que não estão resolvidos”, mas garantiu que o Governo Regional tem “vontade, capacidade e determinação” para lhes dar resposta, ressalvando que a coesão da região “não é apenas um direito, mas uma responsabilidade de todos”.