Pub

O presidente da SATA, Luís Rodrigues, considerou hoje, na sessão de boas-vindas do avião bombardier Q400 da SATA Air Açores, que a chegada da nova aeronave é uma “prova de vida” da companhia aérea açoriana.

Na cerimónia, que decorreu no aeroporto de Ponta Delgada, o presidente da transportadora aérea considerou que o batismo da aeronave “Vitorino Nemésio” é uma “motivação extraordinária”.

“Um batismo é sempre uma prova de vida. Uma prova de vida é uma antítese de uma prova de morte. Uma prova de vida é uma aposta no futuro. E por quem passou aquilo que passou nos últimos anos nesta companhia, ter um batismo e uma prova de vida é uma coisa extraordinária e um motivo de satisfação enorme”, declarou Luís Rodrigues.

Segundo disse, a chegada do novo avião, que vai reforçar a frota da SATA Air Açores (empresa do grupo responsável pelas ligações entre as ilhas açorianas), é um “motivo de orgulho” para “todos os que trabalham” na companhia.

A SATA Air Açores tem operado uma média de 74 voos inter-ilhas por dia e cerca de 432 voos semanais.

Com a nova aeronave, a empresa responsável pelas ligações no arquipélago passa a dispor de uma frota de sete aeronaves: cinco Bombardier Q400 e dois Q200.

Luís Rodrigues enalteceu ainda a “tão ilustre figura” do poeta e académico terceirense Vitorino Nemésio, que dá nome ao novo avião.

“Do pouco que me lembro do ensino primário, ficou-me a expressão ‘se bem me lembro’ de um senhor, uma figura ilustre e empática que nos entravam pela casa dentro e que nós ouvíamos. Mesmo sem perceber muito bem o que dizia, tínhamos simpatia por aquela figura”, assinalou, evocando o programa de Vitorino Nemésio na RTP (exibido de 1970 a 75), intitulado “Se Bem me Lembro”.

Aos jornalistas, no final da cerimónia, o presidente do Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM), José Manuel Bolieiro, lembrou que Vitorino Nemésio formulou o termo “açorianidade” e vincou a importância da SATA para “ligar os açorianos a cada uma das ilhas”.

O social-democrata salientou que o aumento da frota da SATA Air Açores foi necessário devido à criação da Tarifa Açores em junho de 2021 e que permite aos residentes viajarem entre ilhas com o preço máximo de 60 euros.

“Nós asseguramos procura motivada e agora estamos a corresponder com oferta necessária à procura. Isso é bom porque também é garantia da sustentabilidade económica do negócio”, destacou o líder regional.

Numa nota informativa distribuída à comunicação social, a SATA realça que a nova aeronave Q400 vai “assegurar o reforço de voos entre as ilhas do arquipélago”, tendo em conta o “incremento de tráfego que já se esperava e que tem vindo a decorrer”.

“A vinda desta aeronave teve como propósito corresponder ao reforço da operação inter-ilhas que este ano de 2022 se espera venha a ter um incremento na ordem dos 21% em relação ao ano pré-pandémico de 2019”, detalha a companhia.

Pub