“Recebi um convite, muito simpático, do senhor presidente da Assembleia, para aqui vir aos 45 anos da autonomia, no dia 4 de setembro, e cá virei. E espero vir uns dias mais cedo, para demonstrar como é bom fazer turismo nos Açores”, realçou o chefe de Estado, em declarações aos jornalistas, no final de uma reunião com o presidente do parlamento dos Açores, Luís Garcia, na Horta.

Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que o combate à pandemia é um processo “muito difícil”, mas manifestou o seu agrado, pelo facto de os números de novos casos de infeção e óbitos pelo novo coronavírus estar a diminuir em todo o país e também nos Açores.

“Genericamente, a situação é muito positiva nas ilhas, em número de casos, em número de internamentos, em mortalidade, e, portanto, aquilo que desejamos é que este caminho, seja um caminho a seguir rapidamente, para se virar uma página e para se virar para uma economia aberta, para uma sociedade aberta, para a vida das pessoas com mais esperança e mais futuro”, salientou o Presidente da República.

O chefe de Estado, que se deslocou aos Açores num avião da Força Aérea Portuguesa, fez escala na Base das Lajes, na ilha Terceira, onde reside o Representante da República para a Região, Pedro Catarino, seguiu até à ilha do Faial, para reunir-se com o presidente da Assembleia Legislativa dos Açores e com os líderes parlamentares, tendo viajado depois para São Miguel, onde irá reunir-se com o presidente do Governo Regional, José Manuel Bolieiro.