PUB

A seleção portuguesa de futebol qualificou-se hoje para os quartos de final do Mundial de 2022, ao golear a Suíça por 6-1, com ‘hat-trick’ de Gonçalo Ramos, no último jogo dos ‘oitavos’.

O avançado do Benfica, aos 17, 51 e 67 minutos, Pepe, aos 33, Raphaël Guerreiro, aos 55, e Rafael Leão, aos 90+2, marcaram os golos da formação das ‘quinas’, enquanto Manuel Akanji apontou o tento dos helvéticos, aos 58.

Nos quartos de final, num jogo marcado para sábado, pelas 15:00 (em Lisboa), no Estádio Al Thumama, em Doha, Portugal vai defrontar Marrocos, que hoje eliminou a Espanha, no desempate por penáltis (3-0, após 0-0 nos 120 minutos).

PUB

Ramos replica ‘hat-tricks’ de Pauleta e Ronaldo

Gonçalo Ramos tornou-se hoje o quarto jogador português a marcar, pelo menos, três golos num jogo da seleção portuguesa de futebol em Mundiais, ‘replicando’ Eusébio, Pauleta e Cristiano Ronaldo, ao lograr um ‘hat-trick’ na goleada à Suíça (6-1).

No último encontro dos ‘oitavos’ do Mundial2022, o avançado do Benfica, que substituiu no ‘onze’ Cristiano Ronaldo, inaugurou o marcador, aos 17 minutos, apontou o terceiro tento luso, aos 51, e ainda o quinto, aos 67, depois de ter oferecido o quarto a Raphaël Guerreiro, aos 55.

Ramos, que foi substituído aos 73 minutos, só não conseguiu igualar o feito de Eusébio, que, em 1966, nos quartos de final, logrou um ‘póquer’ face à Coreia do Norte, virando, ‘sozinho’, o resultado de 0-3 para 4-3. Acabou 5-3.

Pela seleção lusa em Mundiais, tinham logrado ‘hat-tricks’ Pauleta, no 4-0 à Polónia, em 2002, e Cristiano Ronaldo, no 3-3 com a Espanha, em 2018.

Gonçalo Ramos, que só tinha jogado dois minutos no primeiro jogo (3-2 ao Gana) e oito no segundo (2-0 ao Uruguai), acrescidos de descontos, conta agora quatro golos na seleção ‘AA’, em apenas quatro jogos.

O avançado ‘encarnado’, de 21 anos, estreou-se na seleção lusa no único jogo de preparação para o Mundial de 2022, tendo marcado o terceiro golo numa goleada por 4-0 face à Nigéria, em Alvalade, em 17 de novembro.

Após o primeiro tento de Gonçalo Ramos, Pepe marcou o segundo, aos 33 minutos, replicando o que tinha conseguido no Mundial de 2018, também nos ‘oitavos’, então num golo que nada valeu, uma vez que Portugal perdeu por 2-1 com o Uruguai, vencedor graças a um ‘bis’ de Edinson Cavani.

O central luso não é, ainda assim, o mais velho a marcar em Mundiais, numa lista liderada pelo camaronês Roger Milla, que o fez com 42 anos, um mês e oito dias. Pepe é o segundo da lista, com 39 anos, nove meses e 10 dias.

Pepe conta agora oito golos pela seleção portuguesa de futebol, em 131 encontros.

Aos 55 minutos, Raphaël Guerreiro somou o quarto golo luso e estreou-se a marcar em Mundiais, passando a contar quatro golos por Portugal, em 60 encontros.

Sobre o final, aos 90+2 minutos, Rafael Leão colocou a ‘cereja em cima do bolo’, com o sexto golo luso e o seu segundo no Qatar – os dois que tem por Portugal, em 14 jogos -, depois de ter marcado no 3-2 ao Gana.

Em Mundiais, o líder luso, desde que faturou por nove vezes na edição de 1966, sendo o ‘rei’ dos marcadores, é Eusébio, secundado por Cristiano Ronaldo, que soma oito e tornou-se já em 2022 o primeiro jogador da história a marcar em cinco edições.

Seguem-se Pauleta, isolado no terceiro lugar, com quatro golos, apenas mais um do que os ‘magriços’ José Augusto e José Torres e, agora, Gonçalo Ramos.

Por seu lado, Pepe e Rafael Leão juntam-se, no sétimo lugar do ‘ranking’, a Maniche (dois em 2006), Simão (um em 2006 e um em 2010), Tiago (dois em 2010) e Bruno Fernandes, que ‘bisou’ face ao Uruguai (2-0), já no Qatar.

No Mundial2022, Portugal soma agora 12 golos, sendo que, antes do jogo dos ‘oitavos’, já tinham faturado Bruno Fernandes, único com dois, Cristiano Ronaldo, João Félix, Rafael Leão e Ricardo Horta.

A seleção lusa não esteve nas primeiras sete edições do Mundial (1930, 1934, 1938, 1950, 1954, 1958 e 1962), para, na estreia, em 1966, não necessitar sequer de um minuto para conseguir um golo.

Em 13 de julho de 1966, no Estádio Old Trafford, em Manchester, José Augusto marcou o primeiro tento face à Hungria, que Portugal venceu por 3-1. Foi o primeiro de um total de passou hoje a 61.

Nessa primeira presença, Eusébio, que só não faturou na estreia, marcou nove golos, que lhe deram o título de melhor marcador da prova e o fazem ser ainda, 56 anos depois, o ‘rei’ dos goleadores lusos em Mundiais.

Pepe é o 10,º jogador luso a chegar aos dois golos em Mundiais

O central Pepe tornou-se hoje, aos 39 anos, o 10.º jogador de Portugal a chegar aos dois golos em Mundiais de futebol, ao marcar o segundo tento luso face à Suíça, nos ‘oitavos’ da edição de 2022.

Depois do avançado benfiquista Gonçalo Ramos inaugural o marcador, aos 17 minutos, o central do FC Porto faturou de cabeça, na sequência de um canto apontado por Bruno Fernandes, na direita, aos 33, para o 57.º golo luso em Mundiais.

Pepe replicou, assim, o que tinha conseguido no Mundial de 2018, também nos oitavos de final, então num golo que nada valeu, uma vez que Portugal perdeu por 2-1 com o Uruguai, vencedor graças a um ‘bis’ de Edinson Cavani.

O central luso não é, ainda assim, o mais velho a marcar em Mundiais, numa lista liderada pelo camaronês Roger Milla, que o fez com 42 anos, um mês e oito dias. Pepe é o segundo da lista, com 39 anos, nove meses e 10 dias.

Na lista dos marcadores nacionais, Pepe junta-se, no sexto lugar do ‘ranking’, a Maniche (dois em 2006), Simão (um em 2006 e um em 2010), Tiago (dois em 2010) e Bruno Fernandes, que ‘bisou’ face ao Uruguai (2-0), já no Qatar.

O líder, desde que faturou por nove vezes na edição de 1966, sendo o ‘rei’ dos marcadores, é Eusébio, secundado por Cristiano Ronaldo, que soma oito e tornou-se já em 2022 o primeiro jogador da história a marcar em cinco edições.

Seguem-se Pauleta, com quatro golos, e os ‘magriços’ José Augusto e José Torres, ambos com três.

No Mundial2022, Portugal soma agora oito golos, sendo que, antes do jogo dos ‘oitavos’, já tinham faturado Bruno Fernandes, único com dois, Cristiano Ronaldo, João Félix, Rafael Leão e Ricardo Horta.

A seleção lusa não esteve nas primeiras sete edições do Mundial (1930, 1934, 1938, 1950, 1954, 1958 e 1962), para, na estreia, em 1966, não necessitar sequer de um minuto para conseguir um golo.

Em 13 de julho de 1966, no Estádio Old Trafford, em Manchester, José Augusto marcou o primeiro tento face à Hungria, que Portugal venceu por 3-1.

Nessa primeira presença, Eusébio, que só não faturou na estreia, marcou nove golos, que lhe deram o título de melhor marcador da prova e o fazem ser ainda, 56 anos depois, o ‘rei’ dos goleadores lusos em Mundiais.

Pub