O responsável e os seus homólogos de França, Itália e Portugal decidiram, numa reunião, elaborar uma proposta com “pontos comuns” sobre a reforma da PAC para apresentá-la perante a Comissão Europeia e o Conselho de Ministros da Agricultura, em março, segundo a agência Efe.

Os representantes dos quatro países acordaram preparar o documento e enviá-lo aos ministros, embora já tenham chegado a acordo para manter fundos “ambiciosos” na PAC – além de 2020 – e que o novo modelo tenha um quadro comum que evite problemas e alterações de concorrência.

Em relação ao orçamento, Cabanas sublinhou que estão a ser analisadas “todas as possibilidades” do ponto de vista agrícola, com reflexões sobre o impacto do ‘Brexit’.

“No nosso nível, acordámos que o orçamento deve ser suficiente para uma PAC ambiciosa”, acrescentou Carlos Cabanas, citado pela Efe.