Ponta Delgada é palco de 10 a 12 de outubro do III Encontro Internacional de Poesia

Poetas dos Açores, Madeira, Continente, Canárias e Cabo Verde participam, de 10 a 12 de outubro, no III Encontro Internacional de Poesia.

O evento tem como tema genérico, a ser debatido em conjunto com a população, a  condição de ilhéu e assume Ponta Delgada como sendo a cidade dos poetas.

Para o Presidente da Câmara Municipal o encontro “ajuda a valorizar a História e um presente pedagógico e enaltece os poetas”.

Convicto de que a poesia enaltece o ser humano e faz dele melhor pessoa, José Manuel Bolieiro traçou, na Conferência de Imprensa de apresentação do evento, esta tarde, um balanço extremamente positivo das edições anteriores, que tiveram lugar em Ponta Delgada e em Porto Santo (Madeira), respetivamente.

Dando seguimento a uma visão estratégica e num ato de justiça para com os poetas e a poesia, assegurou a continuidade do evento internacional com permanência bienal em Ponta Delgada e anunciou que em 2020 o encontro vai realizar-se no arquipélago das Canárias.

A par da importância cultural, o edil relevou a importância do evento para Ponta Delgada enquanto destino turístico, lembrando alguns artigos publicados na imprensa internacional aquando das edições anteriores do encontro, contribuindo, assim, para a ampliação no mundo de Ponta Delgada.

O Presidente aproveitou para enaltecer o contributo determinante do poeta madeirense João Carlos Abreu, a ‘alma mater’ desta iniciativa em Ponta Delgada e no Porto Santo, bem como a sua presença na Conferência de Imprensa.

Expressou, igualmente, a sua gratidão a todos os poetas que participam no encontro contribuindo para o elevado gabarito do mesmo.

Bolieiro referiu, ainda, uma palavra de apreço para com o envolvimento do Chefe de Gabinete da Autarquia, José Andrade, neste evento, bem como da equipa da Cultura, na pessoa da Vereadora da Cultura, Maria José Lemos Duarte, e do Chefe de Divisão, José de Almeida Mello.

João Carlos Abreu, por seu turno, sustentou que “se há cidade que pode ostentar o título de cidade dos poetas esta cidade é Ponta Delgada”, expressando a sua admiração com o manancial de poetas existente em Ponta Delgada e nos Açores.

O poeta madeirense testemunhou a “admiração e respeito” para com José Manuel Bolieiro e agradeceu ao edil o que tem feito pela poesia.

Referiu-se ao encontro como uma “organização perfeita” e destacou a qualidade dos painéis.

“Aos 84 anos encontrei a cidade dos poetas!”, rematou, expectante pelo encontro que, no fundo, apresenta-se como “a festa da poesia” e em que os edifícios públicos municipais, como a Biblioteca, a Sinagoga e o Centro Municipal de Cultura vão, nas suas fachadas, ostentar poemas de diferentes autores. O edifício dos Paços Concelho tem expostos duas faixas com poemas de Antero de Quental e Natália Correia, nomes incontornáveis.

Programa

O evento começa quinta-feira, 10 de outubro, às 17h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com a Cerimónia de Abertura. A intervenção inicial estará a cargo do Comissário do Encontro Internacional de Poesia, João Carlos Abreu.

Segue-se o lançamento do livro do II Encontro Internacional de Poesia, que decorreu em Porto Santo em 2018, com apresentação de Marcelino Castro, e as intervenções do Presidente da Câmara Municipal do Porto Santo, José Idalino de Vasconcelos, e do poeta açoriano Eduíno de Jesus.

A sessão será encerrada pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Humberto Melo.

No mesmo dia, entre as 18h30 e as 18h44, vai ter lugar a Sessão Itinerante de poesia, percorrendo a Praça do Município, as Portas da Cidade e o Largo da Matriz.

Às 18h45, será inaugurada a  Exposição Permanente de Poesia na Rua Hintze Ribeiro.

A Casa  José Franco, às 19h00, é palco do lançamento do livro Processo Continuous: Poemas Mecânicos, de Maria Fernandes (Madeira), e às 22h00, a Casa Hintze Ribeiro acolhe um Café Concerto.

Na sexta-feira, 11 de outubro, às 10h00, tem início o Roteiro Antero Quental, comentado por José de Almeida Mello, com saída do Cemitério de São Joaquim (monumento fúnebre), passando pelo jardim Antero de Quental (monumento em homenagem ao poeta), Rua do Castilho (casa onde nasceu), Campo de São Francisco (local onde morreu) e Largo Mártires da pátria (busto e poema).

Segue-se, no Liceu, às 12h00, uma Sessão com Estudantes, coordenada por Maria João Ruivo.

A partir das 15h00, o Centro Natália Correia acolhe o 1º Painel | DA ILHA PRISÃO À ILHA PARAÍSO: AMBIGUIDADE SIMBÓLICA DAS ILHAS, moderado por Marcelino de Castro, com as comunicações de Daniel Gonçalves (Açores – Ilha de Santa Maria), João Carlos Abreu (Madeira), Luís Filipe Sarmento (Lisboa) e Maria Fernandes (Madeira).

O 2.º Painel, previsto para as 17h00, é dedicado à INSULARIDADE E POESIA: OS LIMITES DA CONDIÇÃO INSULAR, vai ser moderado por José de Almeida Mello e contará com as comunicações de Aquiles Garcia Brito (Canárias – Ilha de Gran Canária), Domingos Lobo (Seixal), Teresa Klut (Madeira)  e Vera Duarte (Cabo Verde – Ilha de Santiago).

No mesmo dia, às 19h00 e na Casa da Madeira nos Açores, Luís Ramos Freitas lança o livro Arritmias.

Às 22h00, o Lava Jazz acolhe a Tertúlia Poética.

No sábado, 12 de outubro, às 10h00- na Livraria Leya Solmar tem lugar o Encontro com Livros de Poesia que, às 11h30, é feito na Livraria Letras Lavadas.

A partir das 15h00, o Centro Natália Correia recebe o  3º Painel | DAS ILHAS PARA O MUNDO E DO MUNDO PARA AS ILHAS: COSMOLOGIAS INSULARES, NACIONAIS E UNIVERSAIS, moderado por Marcelino de Castro, com as  comunicações de Fernando Pinto do Amaral (Lisboa), Irene Lucília Andrade (Madeira), Lucía Rosa González (Canárias – Ilha de La Palma) e Henrique Levy (Açores – Ilha de São Miguel).

Após a pausa para café, e pelas 17h00, os trabalhos prosseguem com o 4º Painel | POESIA E AÇORIANIDADE, moderado por José de Almeida Mello, com as comunicações de Adélio Amaro (Leiria), Ângela Almeida (Açores – Ilha de São Miguel), Carlos Bessa (Açores – Ilha Terceira) e Urbano Bettencourt (Açores – Ilha do Pico).

O Estúdio 13, às 22h00, recebe o espetáculo de encerramento do III Encontro Internacional de Poesia, coordenado por Eleanora Marino Duarte.

A entrada nos vários momentos do Encontro Internacional de Poesia é livre.