Pub

As XIX Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada começaram oficialmente ontem com a Conferência Inaugural, subordinada ao tema “Porque ama, une. Porque Une, transborda de amor. O espírito Santo no coração da experiência mística”.

Na ocasião, o Presidente da Câmara Municipal afirmou ser com “grande emoção que iniciamos as Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada” e “celebramos os dons do Espírito Santo: sabedoria, inteligência, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus”.

“O Divino Espírito Santo está presente na alma de cada açoriano onde quer que este se encontre, seja nas nossas ilhas, no país ou em qualquer parte do mundo”, lembrou Pedro Nascimento Cabral, razão pela qual a autarquia promove essas festas há 19 anos.

“Quando somos convocados para honrar a memória da mais genuína tradição secular do nosso povo e das nossas ilhas, Ponta Delgada coloca toda a perfeição possível na preparação e realização das Grande Festas do Divino Espírito Santo, com muitas horas de trabalho feito, com dedicação e entusiasmo, em que é fundamental o apoio de todos”, sustentou, enaltecendo o envolvimento das 24 freguesias do concelho de Ponta Delgada e a cooperação dada por diversas organizações, instituições e centenas de voluntários na sua concretização.

O Presidente do Município agradeceu as palavras e o trabalho de Eugénia Maria da Silva Abrantes, Diretora do Instituto de Estudos Avançados em Catolicismo e Globalização, numa altura “em que são cada vez mais urgentes as palavras e os atos de tolerância e de humanismo”.

Para a oradora, os Açores têm gentes que “falam com o coração, devotos ao místico”, adiantando que “a experiência mística envolve o ser humano por inteiro, na sua dimensão na fronteira do limite com o Divino”, daí a escolha do tema.

“A experiência mística é a dimensão do humano na relação de limite, em algo que nos transcende: o místico é a pessoa, o humano que faz a experiência de uma presença que pressente dentro de si e que o move no estabelecimento de uma relação espiritual”, explicou.

Eugénia Abrantes concluiu que a “fé é acreditar no meio da escuridão, mas que ela não deixa de ser também uma evidência”.

A Conferência Inaugural das Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, subordinada ao tema “Porque ama, une. Porque Une, transborda de amor. O espírito Santo no coração da experiência mística”, teve lugar ontem, na Igreja Matriz de São Sebastião.

Pedro Nascimento Cabral agradeceu ao Padre Nemésio o acolhimento ao longo das dezanove edições da festa.

Após a conferência, teve lugar um concerto com a Sinfonietta de Ponta Delgada.

 

Pub