Manuel Alegre dedica poema à Lisboa com “praças cheias de ninguém” e que “ainda resiste” neste Dia Mundial da Poesia

O poeta Manuel Alegre publicou um poema na sua página de Facebook dedicado a Lisboa que, “com praças cheias de ninguém”, “ainda é Lisboa de Pessoa alegre e triste” e “ainda resiste”, em tempos de pandemia de covid-19.

Desde a sua publicação em www.facebook.com/manuelalegre.escritor, cerca das 16:00 de sexta-feira, até hoje às 12:00, o poema de Alegre foi partilhado por mais de 5.400 pessoas e teve mais 1.600 ‘likes´.