Plano e Orçamento para 2020 não salvaguarda o aumento do rendimento dos produtores

O presidente do grupo parlamentar do PSD/Açores defendeu esta tarde que, no âmbito do Plano e Orçamento para 2020, a Agricultura regional deve ter “um reforço nas medidas à internacionalização e à diferenciação dos seus produtos, de modo a que haja um aumento do rendimento dos agricultores”, avançou.

Luís Maurício falava após uma reunião com a Federação Agrícola dos Açores, onde sublinhou que, “apesar de todos os milhões que foram transferidos da União Europeia para a Região no âmbito deste setor, o que nos é transmitido é que o rendimento dos agricultores açorianos ainda está muito longe da média dos agricultores europeus”.

Assim, referiu o líder da bancada social democrata, “não se entende que haja, no Plano e Orçamento para 2020, uma redução das verbas contidas para a Agricultura. E são menos 6 milhões de euros”, disse.

“Associado a isso, e como vimos em planos anteriores, é muito diferente aquilo que se escreve no papel daquilo que se executa”, considerou, lembrando que, “em 2017 e 2018, o setor agrícola não recebeu, por via da não execução, cerca de 24 milhões de euros”.

“Se essas verbas tivessem sido concretizadas nos objetivos que aqui referimos, com atenção à valorização dos nossos produtos, nomeadamente o leite, e juntando-lhes os 35 milhões não aplicados entre 2013 e 2016, ainda na anterior legislatura, certamente que o cenário seria diferente”, afirmou Luís Maurício.

“Uma coisa é propalar a importância da Agricultura, outra é concretizar aquilo que são as boas intenções”, disse o líder parlamentar do PSD/Açores.

“A Agricultura vive nos Açores, neste momento, uma situação de fragilidade, em função do facto de, por exemplo, ainda haver explorações agrícolas carentes de abastecimento de água, carentes de eletrificação e servidas por alguns caminhos de acesso em más condições”, referiu aos jornalistas.

Luís Maurício reforçou que o setor agrícola tem, “em cada uma das nove ilhas, um potencial muito próprio, razão pela qual defendemos planos integrados de desenvolvimento para cada uma delas”.

Nesses planos, deve olhar-se para a Agricultura, para o Turismo e para o Ambiente “como instrumentos de valorização e de aumento do rendimento dos produtores, visando ainda a criação de emprego. Especialmente no meio rural, de modo até a fixar população em muitas das nossas freguesias”, defendeu.

Na discussão do Plano e Orçamento para 2020, Luís Maurício adiantou que o PSD “vai apresentar propostas pontuais, mas sempre frisando que estes não são nem o Plano nem o Orçamento do PSD”, explicou.

“Mais do que alterações pontuais, é preciso uma alteração de políticas. E aí o PSD assume-se como uma alternativa a este estado de coisas, que o PS tem mantido nas últimas duas décadas, sendo que isso caberá aos açorianos julgarem”, concluiu.