Plano de Ação do Polo Local de Desenvolvimento e Coesão Social dos Arrifes vai “assegurar melhoria da qualidade de vida”

A Secretária Regional da Solidariedade Social salientou que o plano de ação apresentado pela equipa de coordenação do Polo Local de Desenvolvimento e Coesão Social dos Arrifes, no concelho de Ponta Delgada, inclui “ações importantes para assegurar a melhoria da qualidade de vida das pessoas desta localidade”.

Andreia Cardoso falava segunda-feira na apresentação do diagnóstico e plano de ação a ser implementado naquele território, no âmbito da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social, através da otimização dos recursos, tendo em vista combater as problemáticas identificadas naquela localidade que contribuem para os níveis de pobreza e exclusão social.

Baseado em estatísticas, no conhecimento da realidade local pelos técnicos, assim como na informação recolhida junto da população a partir de vários momentos criados especificamente para o efeito, a equipa do Polo dos Arrifes efetuou um diagnóstico da freguesia.

Como principais questões a dar resposta, destacam-se a convergência, sobretudo no empreendimento Piedade Jovem, mas também na zona dos Milagres e no Outeiro, de um conjunto de problemáticas associadas ao elevado número de famílias em situação de precaridade económica, nomeadamente famílias monoparentais, algumas lacunas ao nível das competências parentais e gestão familiar, o desemprego, sobretudo entre os jovens, e a toxicodependência.

Deste diagnóstico resultou o plano de ação, constituído por um conjunto de 20 ações a desenvolver até 2021, centrado no apoio às famílias, no desenvolvimento das suas competências para a resolução dos problemas, na promoção do sucesso escolar das crianças e jovens e na ocupação dos seus tempos livres e ainda no reforço das condições de empregabilidade dos mais jovens.

Entre as ações previstas, destaque para a implementação na escola dos Arrifes da ‘Parceria de Intervenção Comunitária para o Sucesso Educativo- Escola, Família, Comunidade”, assente numa forte integração entre a escola, os pais dos alunos, os técnicos da Segurança Social e as associações locais, de forma a criar as condições para que o sucesso educativo esteja ao alcance de todos, independentemente das suas condições socioeconómicas.

Os resultados muito positivos ao nível da progressão escolar dos alunos já alcançados noutras escolas da Região após a implementação deste projeto, levaram à sua adotação e execução na freguesia dos Arrifes.

Destaque ainda para o Centro Comunitário de Arrifes (Cubo Mágico), que irá desenvolver um conjunto de atividades lúdico-pedagógicas direcionadas para as crianças, atividades ao nível do apoio aos pais na educação dos seus filhos e ainda atividades dirigidas ao reforço da empregabilidade dos jovens.

Está previsto ainda o desenvolvimento de vários eventos a dinamizar no empreendimento Piedade Jovem de promoção do espírito comunitário, onde se incluirá também a requalificação de espaços comuns de forma a melhorar as condições de vivência deste bairro.

O plano de ação que operacionaliza a Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social para o biénio 2018-2019 previa a identificação de territórios de intervenção prioritária na Região, onde se identificavam um conjunto de problemáticas que afetam os níveis de pobreza, tendo sido identificados cinco territórios, nomeadamente Arrifes, Água de Pau, Rabo de Peixe, Fenais da Ajuda, todos em S. Miguel, e Terra-Chã, na Terceira.

Nesse sentido, foram criadas equipas com elementos de vários serviços públicos nas áreas da saúde, educação, emprego, habitação, cultura e solidariedade social com o objetivo de desenvolver um trabalho de estreita articulação entre os vários serviços e em diálogo com a população local em cada um desses territórios.

O Polo dos Arrifes foi o primeiro a apresentar o seu plano estratégico.