Pub

AÇORES 9 TV EM DIRETO

O presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, nos Açores, o social-democrata Pedro Nascimento Cabral, defendeu hoje um “compromisso geracional” para assegurar os “objetivos” fixados pela União Europeia (UE) “em matéria ambiental e climática”.

Citado num comunicado enviado hoje pela autarquia, o autarca defende que a sustentabilidade, “mais do que uma tendência”, é “uma necessidade para o futuro global”.

“Deixar para as novas gerações cidades sustentáveis é obrigação de todos nós”, afirma o presidente da Câmara de Ponta Delgada, que participou na quinta-feira no debate “Centros Históricos: Desafios Emergentes”, numa iniciativa da Secção Regional dos Açores da Ordem dos Arquitectos.

Segundo Pedro Nascimento Cabral, o “desafio” da sustentabilidade é “transversal a todas as zonas urbanas” e passa por “combater as alterações climáticas”, promover a “descarbonização” e preservar o “património edificado”.

O autarca defende igualmente a “utilização de transportes mais ecológicos” e uma “humanização das cidades”.

O Pacto Ecológico Europeu da União Europeia (UE) pretende uma redução das emissões de gases com efeito de estufa de, pelo menos, 55 % até 2030, fixando até 2050 o objetivo da neutralidade carbónica.

O pacto prevê programas nas áreas da alimentação, indústria, biodiversidade e do combate às alterações climáticas, tendo sido criado um mecanismo para apoiar financeiramente as regiões mais afetadas pela transição para uma economia mais sustentável.

Localizado na ilha de São Miguel, o município de Ponta Delgada, o maior dos Açores, tem cerca de 67 mil habitantes e é composto por 24 freguesias.

 

Pub