Pedro Duarte otimista fala de parte do país ansiosa por um partido diferente

O antigo líder da JSD Pedro Duarte vê com “otimismo os próximos tempos do PSD”, considerando que com Rui Rio na liderança se abrem novas oportunidades porque há uma parte do país que está ansiosa por um partido diferente.

“Estou satisfeito com a eleição do doutor Rui Rio de forma inequívoca e principalmente estou satisfeito com a mobilização que o partido demonstrou”, disse Pedro Duarte à agência Lusa.

O antigo líder da JSD vê “com otimismo os próximos tempos do PSD”, considerando que se abriram “novas janelas, novas oportunidades de fazer uma mudança” importante para o PSD, mas “principalmente para o país”.

“Há uma parte do país que está manifestamente ansiosa de ver um PSD diferente, mais ativo e um PSD constituído como alternativa à frente de esquerda que nos está a governar”, sublinhou.

Para Pedro Duarte, a primeira prioridade da nova liderança “é unir o partido”, considerando que “seria no mínimo absurdo que o PSD agora se dividisse e não estivesse coeso à volta da nova liderança”.

“Depois desta primeira prioridade, será a constituição de um programa alternativo a esta governação socialista”, antecipou.

O antigo deputado defende que “é importante que o PSD rapidamente vire a página da agenda política”, que ficou marcada pelos anos de governação entre 2010, 2011 e 2012.

“O PSD ainda não encontrou um novo discurso, eu diria que esse é o segundo grande desafio da liderança de Rui Rio”, adiantou.

Na opinião de Pedro Duarte “há mais do que tempo” para o PSD se constituir como alternativa à governação socialista, mas antecipa que “têm que ser meses de trabalho, que não vão ser fáceis” porque “isto implica uma mudança muito importante”.

“Já defendi, na altura praticamente isolado – ao lado do José Eduardo Martins – um rumo diferente no PSD, mas isso não significa que se possa dar agora essa mudança, que não haja mais do que tempo até às eleições legislativas”, afirmou.

Para o ex-diretor de campanha presidencial de Marcelo Rebelo de Sousa “há todas as condições para Rui Rio se afirmar como líder da oposição nesta fase e mais tarde como primeiro-ministro de Portugal”.

O ex-presidente da Câmara do Porto Rui Rio foi eleito, no sábado à noite, presidente do PSD com 54,37% dos votos, com uma diferença de cerca de 10 pontos percentuais para Pedro Santana Lopes, informou o partido.

Rui Rio será o 18.º presidente do PSD desde o 25 de Abril de 1974, sucedendo a Pedro Passos Coelho, eleito em 2010.

No seu discurso de vitória, Rui Rio afirmou que seguirá o legado deixado por Francisco Sá Carneiro e avisou que o atual Governo terá com a nova liderança do PSD uma “oposição firme e atenta”, mas “não demagógica ou populista”.

Pedro Santana Lopes assumiu a responsabilidade pelos resultados nas eleições diretas para a liderança do PSD, mas disse estar de consciência tranquila e assegurou que vai continuar no combate político.

Notícias relacionadas