Pub

“A fim de facilitar o processo e evitar tanto quanto possível os incómodos causados por estes cancelamentos (…) os passageiros de quem a TAP tem contactos receberão uma mensagem da companhia aérea informando do novo voo e, se desejarem fazer quaisquer alterações à solução encontrada pela TAP, podem simplesmente seguir o ‘link’ na mesma mensagem para o fazer, online”, pode ler-se numa resposta enviada à agência Lusa.

A transportadora aérea portuguesa referiu ainda que caso o bilhete relativo a um voo cancelado tenha sido reservado através de uma agência de viagem, os passageiros devem contactar a agência para que possa ser reservado de novo o voo.

A TAP tem registado dezenas de cancelamentos de voos devido a falta de pessoal, em isolamento devido à covid-19, uma situação que se repete um pouco por todo o mundo no setor da aviação.

Na resposta à Lusa, a companhia aérea frisou ainda que a nova variante da covid-19 Ómicron obriga a empresa a “ajustar a sua operação para fazer face a um pico de absentismo das tripulações” que tem “levado ao cancelamento de alguns voos, sendo os passageiros acomodados noutros voos da TAP ou de companhias parceiras”.

“A TAP tenta cancelar os voos que possam ser afetados pela falta de disponibilidade de tripulações o mais cedo possível e protege imediatamente os passageiros em outros voos”, acrescentou.

A TAP pediu aos chefes de cabine que ocupem, de forma voluntária, funções menos graduadas, de comissários de bordo, para fazer face aos problemas gerados pela covid-19, que colocou muitos profissionais em isolamento, segundo um documento interno divulgado na segunda-feira.

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) criticou o apelo da TAP aos tripulantes para que ocupem funções menos graduadas e sugeriu a reposição do período normal de trabalho para colmatar as dificuldades de pessoal.

Numa mensagem interna, a que a Lusa teve acesso, o SNPVAC disse que alertou a companhia para “que existem outras medidas para fazer face às dificuldades de operação, nomeadamente a reposição do período normal de trabalho para 100%, aumentando assim também o rendimento dos tripulantes”.

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) disse hoje que “vê com apreensão o cancelamento de inúmeros voos da TAP nas últimas semanas” e diz que isso reflete um “desajuste” do quadro de pessoal face às necessidades.

Na informação, hoje divulgada, na sequência de uma reunião, promovida pelo ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, com representantes dos sindicatos do universo TAP, o SPAC sublinhou “que a retoma da procura no setor faz antever uma época alta em 2022 comparável a anos pré-pandemia”.

Pub