Pub

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo adiantou que o Parque Fotovoltaico do Aeroporto, em Santa Maria, num investimento superior a um milhão de euros, “está em fase final de ligação à rede”.

Este parque para produção de energia elétrica a partir de luz solar, projetado com uma potência nominal de 600 kW, é composto por 2.160 módulos de painéis solares de 340 Wp cada, ocupando uma área de 11.000 m2, e será responsável por uma produção anual de cerca de 1 GWh.

Marta Guerreiro salientou que “este investimento da EDA Renováveis tem como objetivo aumentar a penetração de energia proveniente de fonte renovável na rede elétrica da ilha em cerca de cinco pontos percentuais, relativamente a 2019”.

“Com a instalação e comissionamento do parque fotovoltaico, espera-se que a quota anual de produção de energia elétrica a partir de fontes renováveis na ilha de Santa Maria possa atingir cerca de 19%”, frisou a Secretária Regional, acrescentando que, no ano passado, a energia limpa representou, aproximadamente, 14% da energia desta ilha.

“Dando seguimento à nossa política de rentabilização dos recursos renováveis e endógenos disponíveis, vamos agora privilegiar o aproveitamento da energia fotovoltaica na ilha do arquipélago situada mais a sul, que apresenta uma maior exposição solar e, desta forma, um maior potencial para a produção de energia elétrica a partir deste recurso, através da instalação, por parte do Grupo EDA, do primeiro Parque Fotovoltaico na ilha de Santa Maria”, sublinhou Marta Guerreiro, que falava sexta-feira à margem de uma visita ao Parque Fotovoltaico do Aeroporto.

A titular da pasta da Energia salientou a importância deste projeto para todos os Marienses e também para todos os Açorianos, considerando que se trata de “mais uma introdução de fontes de energia renováveis no sistema eletroprodutor regional que contribuirá para a sustentabilidade económica, social e ambiental do arquipélago”.

Na ocasião, Marta Guerreiro sublinhou um conjunto de outros projetos que estão a ser implementados no arquipélago, apontando como exemplo a instalação de um parque fotovoltaico no Corvo, a ampliação e saturação das centrais geotérmicas em São Miguel e na Terceira, a par da implementação de sistemas de armazenamento de energia e de controlo da rede elétrica em Santa Maria, na Terceira e em São Miguel.

No primeiro semestre deste ano, as fontes de energia renováveis foram responsáveis por cerca de 41% da energia elétrica em todo o arquipélago, estimando-se que possam atingir 60% em 2025 com a implementação dos vários investimentos em curso.

Pub