Pub

O cabeça de lista por São Miguel do PAN/Açores às eleições regionais, Pedro Neves, disse este sábado que quer criar medidas de incentivo à fixação de médicos especialistas aos níveis monetário, logístico, de carreiras e formação contínua.

Em declarações à Lusa, Pedro Neves destacou a saúde como a principal prioridade do PAN, sobretudo em plena pandemia de covid-19.

“Temos muitas propostas na saúde, mas para nós uma das mais importantes é sem dúvida a fixação de médicos especialistas. Estamos a falar em termos de medicina familiar, de médicos de família, mas também em termos de especialistas no sistema hospitalar”, disse.

Na opinião do cabeça de lista pelos círculos de São Miguel e de compensação, entre as medidas de incentivo à fixação dos profissionais, é necessário fomentar a regulamentação específica – para a Região Autónoma dos Açores – do período de férias e da contagem para a idade de reforma.

O PAN defende também a criação de medidas de estímulo à fixação profissional dos cônjuges fora da carreira médica, bem como à dedicação exclusiva ao Serviço Regional de Saúde.

“Temos de competir com as regiões continentais como o Algarve, o Minho e o Porto, que querem incentivar o médico a ficar na sua região. Precisam de uma terapia de choque e essa terapia de choque passa por dobrar o incentivo que temos neste momento, que passa por 1.500 euros no primeiro ano e a reduzir de 750 até 500 euros no terceiro. Queremos três mil euros todos os anos”, disse.

Segundo o candidato, a fixação de médicos especialistas pode fazer a diferença na redução das listas de espera para cirurgia (12 mil pessoas, segundo dados anteriores à pandemia de covid-19).

“Não queremos que os açorianos esperem mais de 500 dias por uma cirurgia”, frisou.

Pedro Neves fez um balanço muito positivo da primeira semana de campanha eleitoral.

“Nesta primeira semana conseguimos ver que existe uma maior confiança por parte dos açorianos no nosso partido. Apesar de ser um partido jovem, é um partido com mais maturidade do que em 2016. Precisamos estar no parlamento açoriano para conseguirmos uma política mais prática e que executa os problemas dos açorianos, e para fazermos uma real oposição”, concluiu.

As legislativas dos Açores estão marcadas para 25 de outubro, com 13 forças políticas candidatas aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

O PAN candidata-se em seis círculos de ilha e pelo de compensação.

Pub