Pub

O deputado do PAN/Açores, Pedro Neves, disse hoje, no Dia da Região, que é urgente criar uma “nova estratégia” para a agricultura e as energias renováveis, lembrando que o arquipélago é “especialmente vulnerável” às crises.

Falando na sessão solene do Dia dos Açores, no concelho da Lagoa, Pedro Neves realçou que a economia da região se encontra “dependente do exterior em quase todos os setores de consumo”.

O deputado único do PAN advogou que a economia açoriana é “baseada” numa “máquina pública administrativa pesada” e “numa rudimentar indústria agroalimentar pouco diversificada”.

“Urge, por isso, redesenhar as escolhas de consumo coletivas a nível regional e rever uma nova estratégia para a agricultura e energia renovável, consolidando áreas de produção eficientes, passando por acrescentar valor à horticultura, fruticultura e à nova fileira dos cereais”, afirmou.

E acrescentou: “alicerçado num sistema regenerativo e contribuindo, assim, para o aumento da competitividade das culturas locais, este é um veículo para consagração de uma política soberana que, mais do que o caminho ideal, é o desígnio da autonomia”.

O parlamentar destacou que os Açores são “especialmente vulneráveis às crises”, reforçando a necessidade de a região assumir a “própria soberania”.

“A autonomia, para que seja mantida a sua autenticidade, exige a concretização da sua integridade. Não bastam, pois, retornos nostálgicos ao passado. É fundamental uma reflexão presente para escolher um horizonte para o futuro”, vincou.

O Dia da Região Autónoma dos Açores foi instituído pelo parlamento açoriano em 1980, através do Decreto Regional n.º 13/80/A, de 21 de agosto, para comemorar a açorianidade e a autonomia.

A data, feriado regional, é celebrada na segunda-feira do Espírito Santo.

As cerimónias deste ano decorrem no Nonagon – Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel, contando com intervenções do presidente do Governo dos Açores, do presidente da Assembleia Legislativa e das representações e grupos parlamentares.

Na sessão solene vão ser ainda atribuídas 27 condecorações a personalidades e instituições.

Pub