PAN/Açores promove workshop de alimentação para sensibilizar a população para a obesidade infantil

Açores, 19 de Novembro de 2019 – O PAN/Açores promove este sábado, um workshop de alimentação saudável para sensibilizar a população de um dos maiores flagelos que a região açoriana enfrenta: – a obesidade infantil, a diabetes e a falta de acesso a cuidados de saúde primários nos Açores.

Segundo os dados do Inquérito Nacional de Saúde, os Açores têm as taxas de prevalência mais elevadas do país no que toca a doenças crónicas como diabetes, hipertensão, obesidade e doenças oncológicas. No que toca à diabetes, a região autónoma é o território com mais mortes registadas em toda a Europa.

A dieta tradicional e a falta de informação por parte das famílias constitui um dos principais fatores de risco. Apesar do Governo Regional ter criadoo Programa de Alimentação Saudável, o excesso de peso e a obesidade continuam a ser um grave problema de saúde pública nos Açores, onde a ingestão de sopa, fruta e produtos hortícolas é insuficiente e com os indicadores mais baixos a nível nacional.

Precisamos de uma linha de acção de política públicas que garanta às comunidades acesso a comportamentos mais saudáveis, através de medidas formativas e informativas, conjugando acções de saúde pública com o devido acesso a cuidados primários de prevenção da doença, afirma o porta-voz do PAN/Açores, Pedro Neves.

Para o PAN/Açores, é necessário sensibilizar as pessoas para a importância da alteração de hábitos e comportamentos, que hoje contribuem para muitas das situações associadas às doenças crónicas. Este workshop prático que o partido promove, servirá também para desmistificar a noção errada que não se pode comer comida saudável a baixo custo e acessível às famílias com maiores dificuldades económicas.

O partido, que se encontra já a trabalhar no programa político para as Legislativas Regionais de 2020, aproveitará esta oportunidade para solicitar contributos a quem participar no workshop. Posteriormente, em Janeiro de 2020, o programa estará aberto a todos os habitantes dos Açores, com o objectivo de acompanhar as necessidades prementes da região e enaltecer o debate participativo açoriano.