“É um dia muito triste para todos”, limitou-se a dizer o médio depois de abandonar as instalações do Comando Territorial do Montijo, recusando fazer mais comentários.

Ao longo da noite, os jogadores da equipa principal do Sporting, a equipa técnica liderada por Jorge Jesus e elementos do ‘staff’ do clube passaram pelas instalações da GNR, onde prestaram declarações.

O avançado holandês Bas Dost, um dos jogadores agredidos, limitou-se a afirmar que estava “tranquilo”.

A Lusa contactou a GNR, que se recusou a divulgar qualquer informação sobre o que estava a acontecer no Comando Territorial do Montijo.

Durante a tarde de terça-feira, cerca de meia centena de indivíduos, de cara tapada, alegadamente adeptos ‘leoninos’, invadiram a Academia de Alcochete e, depois de terem percorrido os relvados, chegaram ao balneário da equipa principal, agredindo vários jogadores, entre os quais Bas Dost, Acuña, Rui Patrício, William Carvalho, Battaglia e Misic e outros membros da equipa técnica.

O Governo repudiou os incidentes na Academia do Sporting, em Alcochete, que considerou atos de vandalismo e criminosos.

Numa declaração conjunta da secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, e o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, o Governo confirmou a detenção de 21 presumivelmente envolvidos.