Pub

As Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho vão ser alvo de “especial atenção” no Plano e Orçamento Municipal que está a ser preparado para 2023 e terá justamente como prioridade a habitação e a área social, avançou, esta segunda-feira, o Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada (CMPD).

“Estamos a preparar um Plano e Orçamento para o próximo ano que visa, sobretudo, conceder uma especial atenção às nossas IPSS e, como tal, às funções sociais que detêm e desenvolvem em beneficio dos cidadãos e famílias do nosso concelho”, deu nota Pedro Nascimento Cabral, acentuando a recente decisão do Município de reforçar em cerca de 20 % o apoio anual concedido a estas instituições.

Pedro Nascimento Cabral falava no Salão Nobre dos Paços do Concelho, na sessão de assinatura do Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), que passou a contemplar uma verba superior a 225 mil euros.

“Em tempos que se afiguram particularmente difíceis vamos conferir prioridade à atuação política nos domínios da ação social e da habitação”, garantiu o autarca, antevendo “constrangimentos sérios” na sequência da crise inflacionista derivada da guerra encetada pela Rússia contra a Ucrânia.

“Temos que olhar com muito cuidado para todos os casos no concelho que possam necessitar da nossa ajuda e é através das vossas instituições, que trabalham diariamente no terreno, que poderemos dar uma resposta eficaz àqueles que mais necessitam”, sublinhou o autarca.

Por essa mesma razão, frisou Pedro Nascimento Cabral, “este protocolo não pode ser interpretado como um ato de generosidade da Câmara Municipal de Ponta Delgada para com as IPSS, mas antes como um meio de solicitar a vossa colaboração para, de modo articulado, servirmos melhor aqueles que mais necessitam”.

Nas palavras do Presidente do Município, “são as Instituições Particulares de Solidariedade Social que, com a sua experiência e testemunho diário, podem melhor auxiliar a autarquia na condução dos recursos públicos para a resolução dos problemas sociais com que nos confrontamos e tendem sempre a agudizar-se diante das crises económicas”.
O Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) abrange 35 instituições do concelho e contempla projetos nas áreas da infância, juventude, seniores, combate às dependência, inclusão social e saúde que cobrem as 24 freguesias do concelho.

Pub