Opinião: Gualter Furtado | Vale das Furnas. Um Registo Urgente!

O Vale das Furnas por variadas razões ocupa um papel de destaque na promoção natural do Turismo dos Açores e em particular da Ilha de São Miguel:

As suas belezas naturais,
A sua imensa riqueza de nascentes de água, de composições químicas variadas, temperaturas e sabores diferentes,
A sua Lagoa,
As suas caldeiras,
Os seus extraordinários Parques e Jardins,
A sua Gastronomia,
A sua História
etc…
Fazem que praticamente as Furnas não necessitem de promoção, precisam sim é de conservação, renovação e investimento inteligente, ordenamento e preservação do seu património material e imaterial.

E é no investimento inteligente e na preservação do seu património imaterial, que urge publicar um trabalho rigoroso, mas de leitura compreensível, de síntese, pequeno e devidamente ilustrado sobres três pilares que contribuem muito para fazerem do Vale das Furnas um lugar único no mundo.

O primeiro pilar são as suas águas que conferem ao Vale das Furnas o estatuto de ser uma das mais importantes Hidrópoles deste planeta, justificando neste Livro um capítulo dedicado às suas diferentes nascentes, composições e sua localização;

O segundo pilar são os Montes que cercam as Furnas e que precisamente lhe conferem as características de Vale, sendo os mais conhecidos vulgarmente identificados como o Pico de Ferro e o Salto do Cavalo.

Um Vale que ficou imortalizado na letra do Hino das Furnas da autoria do Padre José Jacinto Botelho, primeiro Vigário da Igreja de Sant’Ana,  no qual o papel das Montanhas assumem um lugar de relevo, não podem continuar no desconhecimento da maioria dos residentes e de quem nos vista, mas recordemos o Hino das Furnas:

Entre Montanhas Cavada
Sorri a Pátria das Flores.
Terra Nossa Muito Amada,
Ninho dos Nossos Amores!

Se Algum Dia ao Teu Enleio
Negra Sorte me Arrancar.
Permita Deus Que ao Teu Seio,
Possa Em Breve Regressar!

Sendo assim, as nossas Montanhas merecem figurar neste Livro e num capítulo autónomo, identificando o nome de cada uma delas, altura, localização e caracterização.

O terceiro pilar são as serenatas que conferem ao Vale das Furnas um património de vida e de cultura musical e humana de excelência, são famosas as vozes extraordinárias de furnenses ao longo de várias gerações, incluindo dos dois géneros, que ficaram  imortalizadas nos passeios à Água Azeda.

Ainda recentemente numa Homenagem que me foi prestada pelo Duo Top nas Furnas e que muito me honrou, um colega meu Continental dizia-me que tinha ficado impressionado com a maioria das pessoas presentes por saberem as letras e as músicas das serenatas que encerram este evento.

Para que este valioso património imaterial não se perca importa registar neste Livro também em capítulo autónomo as letras e as partituras das músicas de grande valor concebidas e escritas por verdadeiros génios musicais de que dou os exemplos de Benjamim Rodrigues e Viriato Costa.

Mas neste capítulo devia ser acrescentado a publicação das Letras e Músicas do Hino das Furnas e do Hino da Senhora Sant’Ana, a Padroeira do Vale das Furnas.

Com a publicação deste pequeno Livro a Junta de Freguesia das Furnas, a Câmara Municipal da Povoação e o Governo dos Açores prestariam um justo reconhecimento a um Vale que tanto tem dado aos Açores, e seria certamente um valioso contributo para o conhecimento do presente e das gerações vindouras.

A cultura de um Povo mede-se também pelo rasgo e concretização dos seus decisores políticos, seja ao nível autárquico ou no plano regional.

Pub