Pub

Todos os anos o Natal é um tempo de balanço, criação e de vida. Mas esta Quadra Natalícia que vamos viver será diferente, mais cinzenta, mais controlada, mais desequilibrada e até mais perigosa, em consequência da Pandemia provocada pelo Covid-19 que cresceu e multiplicou-se pelos quatro cantos deste mundo que habitamos, não escapando a ela nenhum Continente.

O Covid-19 com as suas consequências ao nível da saúde, está a conduzir à adoção de medidas por parte dos Governos, aconselhados pelas autoridades de saúde, justamente para conter a multiplicação de casos positivos, recomenda, exige e bem, práticas de distanciamento social e quando necessário recorre ao isolamento profilático e ao confinamento. Objetivamente, neste quadro necessário de defesa da saúde, quase toda economia se está a ressentir por, em certas circunstâncias, não estar autorizada a abertura ao público, ou porque quando permitida não existirem clientes. Mas como em todas as crises existem sempre aqueles que são a exceção, e elas existem nesta Pandemia, levando os seus autores a fortes processos de acumulação de capital, enquanto que os outros vão consumindo as suas reservas, definham ou caminham para as insolvências, não fora as moratórias, que vão ter de ser pagas, as linhas de crédito Covid-19 e os apoios ao layoff a situação teria sido ainda mais penosa. Aguardam-se os apoios extraordinários da “Bazuca Europeia” que, ao que parece, foram agora desbloqueados, para mitigarem os enormes prejuízos, a queda de rendimentos e defesa do emprego. Mas não haja ilusões porque até estes fundos estarem operacionalizados e disponibilizados ainda vai levar o seu tempo, exigindo-se vigilância, ação e eficácia dos poderes públicos para auxiliarem os mais frágeis e necessitados. Depois, muita atenção a esta quadra popular:

A Bazuca Europeia

Parece que vai disparar,

E o que o Povo anseia

Será que a ele vai chegar?

GF

É pois neste cenário de receio, de medo, de enormes prejuízos, sonhos desfeitos, mas também de esperança nas anunciadas vacinas anti Covid-19 que vamos viver esta Quadra Natalícia, que tem de respeitar todas as regras de prevenção à propagação  do vírus, para não agravar uma situação que já de si é muito má, até porque, como está a ser informado responsavelmente, o processo de massificação da vacinação vai ser gradual e moroso.

Neste Natal de 2020 uma palavra muito especial para os idosos e principalmente para os doentes que estão a sofrer com a dor física, muitos deles isolados, quando não estão mesmo abandonados, estados estes que se agravaram com o Covid-19. É bom recordar que o ciclo natural da vida, inclui o nascimento, o novo, o velho, a morte, e que o novo não dura sempre e o fim é quase sempre o mesmo, sendo que às vezes até é antecipado. É inegável que a nossa passagem por este mundo é breve, tem de ser bem ponderada, aproveitada e fazendo com que todos os dias sejam Natal. O respeito pelo outro e não fazer aos outros o que desejamos que não nos façam a nós, deve estar sempre na nossa mente.

Mesmo neste tempo de chumbo, o Natal vai acontecer, o Presépio vai ser edificado, Jesus nascerá para mais tarde ser crucificado, bem como as Festas possíveis serão celebradas, assim como a mudança no fim do Ano também acontecerá, sendo o velho substituído pelo novo e sucessivamente, a não ser que os homens persistam em querer dar cabo deste Planeta.

Cuidem-se!

Votos de Boas Festas e um Novo Ano bem melhor do que este taciturno 2020.