PUB

O Vereador da Câmara Municipal de Ponta Delgada Sérgio Rezendes afirmou, este sábado, que o memorial Obelisco (Im)perfeito, da autoria da escultora Catarina Alves, “honra e cumpre um dever de memória” para com os antigos combatentes do Ultramar da freguesia dos Ginetes.

“Nunca haverá uma homenagem que pague o vosso sacrifício e coragem, mas aqui perdurará o respeito que vos temos por se terem disposto a dar e perder a vida pela Pátria”, afirmou o Vereador na cerimónia de inauguração do monumento e numa sentida homenagem aos veteranos de guerra dos Ginetes que teve lugar no Largo do Tanque, ponto central e principal espaço de fruição da freguesia.

Num discurso onde recordou “o cerca de 800 mil jovens portugueses que foram chamados a combater no Ultramar”, opondo “um Portugal ainda fascista e orgulhosamente só” a uma resistência africana “apoiada pela União Soviética”, Sérgio Rezendes fez ainda questão de enaltecer o trabalho realizado pela escultora Catarina Alves, esclarecendo os motivos que levaram o município a apoiar a “feliz ideia da Junta de Freguesia dos Ginetes de homenagear os antigos combatentes da freguesia”.

PUB

“Quisemos, desde a primeira hora, homenagear os nossos veteranos de guerra com uma peça de arte: o nosso povo, os nossos combatentes, merecem arte pública. E este Obelisco (Im)perfeito da escultora – que condensa e traduz na perfeição a carga simbólica de uma guerra de 13 anos, imortalizando todos aqueles que, nascidos nos Ginetes, dela fizeram parte – integrará um roteiro de arte contemporânea em Ponta Delgada que ligará paulatinamente as suas 24 freguesias, projetando o trabalho de artistas locais e açorianos e também as memórias do concelho”, aprofundou o autarca.

O monumento foi inaugurado após uma missa de sufrágio pelos falecidos combatentes que decorreu na Igreja de São Sebastião de Ginetes.

A Filarmónica Minerva de Ginetes encerrou o evento no Largo do Tanque, onde houve também lugar a um Pico de Honra e à partilha de bolo.

Pub