Nunca se viajou tanto de e para os Açores nem interilhas como atualmente, afirma Ana Cunha

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas destacou hoje, na Horta, os melhoramentos registados ao longo dos últimos anos no sistema de acessibilidades que serve o arquipélago, não só nas ligações de e para os Açores, como também na conetividade interilhas.

Ana Cunha, que falava na Assembleia Legislativa, afirmou que o Governo dos Açores assume, “sem hesitação, o papel que lhe cabe, nesta como noutras matérias, e trabalha, em conjunto com todos os intervenientes, para que os transportes e as acessibilidades correspondam, cada vez mais, às expetativas dos Açorianos nas mais variadas vertentes”.

Neste âmbito, sublinhou que os resultados estão espelhados em diversos indicadores, destacando o modelo de transporte aéreo, em vigor desde 2015, e o impacto que teve na economia regional aquela que foi a maior reforma de sempre ao nível das acessibilidades aéreas, cujos resultados são bem visíveis na economia e desenvolvimento dos Açores.

A Secretária Regional recordou que, em 2017, desembarcaram nos aeroportos dos Açores mais 655 mil passageiros, ou seja, “mais 72% do que os passageiros desembarcados em 2014, ano anterior à entrada em vigor do novo modelo de acessibilidades, onde se registou um total de passageiros desembarcados de cerca de 908 mil”, sublinhando ainda que o impacto desta realidade, por exemplo, no setor do turismo, “é de todos conhecido e por demais evidente”.

“Há quem teime em não querer ver. Haverá sempre. É sempre assim”, frisou Ana Cunha, acrescentando que “o facto é que a entrada de novos operadores no mercado do transporte aéreo de e para os Açores gerou um incremento da oferta, uma redução no custo da acessibilidade, o aumento da mobilidade, quer de residentes quer de turistas, esbateu a sazonalidade e, consequentemente, gerou um aumento da confiança e otimismo entre a generalidade dos agentes económicos”.

“É que nunca se viajou tanto de e para os Açores. E nunca se viajou tanto interilhas. É essa a realidade. Fruto destas mudanças, a economia regional está diferente, para melhor”, frisou, relembrando que, também no transporte marítimo de passageiros e viaturas, foram efetuadas profundas mudanças, que alteraram de forma muito positiva este setor.

“No total, juntando as duas operações (sazonal e regular), a Atlânticoline transportou 586.110 passageiros em 2017, quando, em 2013, tinha transportado 463.441, aumentando em 26,5% os passageiros transportados”, destacou Ana Cunha, assegurando ainda que, logo após o acidente com o navio ‘Mestre Simão’, o Governo dos Açores começou a trabalhar para, o mais brevemente possível, conseguir substituir este navio.

A Secretária Regional realçou também o investimento em infraestruturas portuárias, adiantando que estão em curso investimentos que totalizam cerca de 52 milhões de euros, abrangendo desde requalificações em infraestruturas até à reparação de danos causados por temporais, estando ainda previsto o lançamento de outras empreitadas até ao final deste ano.

“Também as infraestruturas aeroportuárias têm sido alvo de um investimento continuado”, frisou Ana Cunha, salientando que, apenas no período de 2005 a 2015, foram investidos cerca de 42 milhões de euros nos aeródromos regionais, a que se deve somar o investimento de 29 milhões de euros na nova Aerogare Civil das Lajes.

Não obstante os melhoramentos registados, Ana Cunha assegurou que o Governo dos Açores vai continuar a trabalhar para o desenvolvimento das nove ilhas, relembrando que as contrariedades e imprevistos fazem parte do processo de desenvolvimento.

“Podem ter a certeza de que este Governo não vacila perante as contrariedades, perante os imprevistos. E os Açorianos sabem que podem contar connosco”, afirmou a Secretária Regional.