PUB

O novo bispo de Angra, Armando Esteves Domingues, assumiu hoje a evangelização dos jovens como uma prioridade, alegando que sem eles a Igreja não se conseguirá renovar.

“Que esta seja uma prioridade evangelizadora, pois não há renovação na Igreja, nem na sociedade, sem o protagonismo dos jovens. Nunca digamos, como às vezes se ouve, que os jovens não sabem nada ou não querem nada. Caminhemos, ganhemos confiança com eles”, disse, na homilia da primeira missa que celebrou como bispo de Angra.

Armando Esteves Domingues tomou posse no sábado, numa cerimónia fechada, perante o Colégio de Consultores, e foi hoje apresentado numa celebração religiosa na Sé de Angra, em que participaram 17 bispos, incluindo o cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, e o presidente da conferência episcopal portuguesa, José Ornelas Carvalho.

PUB

A cerimónia foi antecedida de um cortejo entre a Igreja da Misericórdia e a Sé, nas principais ruas da cidade de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, nos Açores.

Para o bispo de Angra, a Jornada Mundial da Juventude, que Portugal vai acolher em 2023, será “uma oportunidade para um exercício prático do diálogo entre a Igreja e a sociedade civil”.

“Nenhum jovem açoriano deverá ficar de fora a ver passar os aviões ou os navios, e não falo apenas dos ligados às paróquias ou movimentos. Todos têm lugar e voz. A tudo o que tenha a ver com jovens ou Jornada Mundial da Juventude darei prioridade na minha agenda deste ano”, afirmou.

Armando Esteves Domingues assumiu ainda como prioridade o acolhimento e valorização das pessoas, garantindo que a sua porta estará sempre aberta para todos: “Clérigos ou leigos, mais ricos ou pobres, mais idosos ou jovens”.

“Que não se diga que o bispo anda sempre muito ocupado”, sublinhou.

O prelado defendeu que a Igreja não se pode fechar, frisando que “a evangelização não pode ser feita apenas por uns poucos sábios, mas por todos os batizados”.

“Nada sem a família, nada sem as igrejas domésticas. Quem sabe, talvez os membros da família saibam melhor como integrar os diferentes, as novas famílias, os divorciados, todos aqueles que às vezes se queixam de não serem incluídos, serem julgados ou rejeitados”, apontou.

Ordenado padre, em 1982, por um bispo de Viseu, que era açoriano (da ilha de São Jorge), Armando Esteves Domingues é o segundo bispo de Angra natural de Oleiros, no distrito de Castelo Branco, depois de João Maria Pimentel.

É o 40.º bispo de Angra e sucede a João Lavrador, que tomou posse como bispo de Viana do Castelo, em setembro de 2021.

Armando Esteves Domingues era, desde 2018, bispo auxiliar da Diocese do Porto.

Pub