Novo Banco: Costa insiste que inquérito parlamentar poderia satisfazer “curiosidade” do PR e a sua

O primeiro-ministro reiterou hoje que um inquérito parlamentar poderia satisfazer “a curiosidade” do Presidente da República e a sua sobre o que se passou após a resolução do BES, dizendo que gostaria de conhecer as “auditorias internas” do regulador.

“Se há curiosidade e interesse em saber como foi feita a resolução, como o Banco de Portugal geriu o banco após a resolução, como o doutor Sérgio Monteiro geriu a primeira tentativa de venda, pela nossa parte estamos totalmente disponíveis para uma comissão de inquérito”, afirmou António Costa, no debate quinzenal.

Em resposta ao PSD, o primeiro-ministro salientou que, “ao contrário do Governo”, a Assembleia da República pode “apurar aquilo que suscita curiosidade ao Presidente da República, suscita curiosidade a muitos portugueses”.

“E, devo dizer, até a mim próprio, que gostaria de conhecer auditorias internas do Banco de Portugal que nunca foram publicadas, nem sequer transmitidas ao Governo”, acrescentou.

No debate, o vice-presidente da bancada Adão Silva lembrou que António Costa também é secretário-geral do PS.

“Parece que nem o seu partido seguiu as suas pisadas, seguiu o seu repto”, criticou, horas depois de o PS ter defendido que tal instrumento só deveria avançar depois de uma auditoria às circunstâncias em que ocorreu a resolução do Banco Espírito Santo (BES) em 2014.