Pub

O Núcleo de Empresários de Lagoa – NELAG, face à declaração de Calamidade Pública Regional em que se encontra o concelho de Lagoa há várias semanas, mostra-se preocupado com a situação de encerramentos dos cafés, pelo que participou num encontro com a Câmara Municipal de Lagoa e os proprietários destes estabelecimentos.

Esta preocupação do NELAG, também partilhada pela edilidade lagoense, passou por delinear um apoio para mitigar as consequências desta situação, que tem sido prejudicial para os empresários da área dos cafés, principalmente, porque os mesmos detêm uma única atividade económica, em regra constituem o seu posto de trabalho e estão sem quaisquer rendimentos para fazer face a um conjunto de custos fixos mensais.

Assim, ficou acordado um apoio financeiro suplementar ao NELAG de 12.500€, por forma a compensar os custos desta medida da Autoridade de Saúde Regional, referente ao mês de julho, sendo possível estender este apoio para o mês de agosto, caso a situação perdure. Na prática, cada estabelecimento receberá 500 euros de apoio referentes ao mês de julho.

Pub

De salientar que, a Câmara Municipal de Lagoa, nas últimas semanas, tem apelado ao Secretário Regional da Saúde, para a revogação desta medida, atendendo que o número de casos positivos por Covid-19 tem crescido mesmo com os cafés encerrados, pelo que se depreende que estes espaços não são os principais responsáveis pelos contágios.

Para a Lagoa e para os empresários lagoenses esta situação é muito prejudicial, pois os munícipes acabam por se concentrar nos poucos espaços abertos e, numa altura em que a região regista um crescimento notório de visitantes, afeta a atividade turística de forma gravosa, quando se esperava que vivêssemos uma época de início da recuperação económica dos efeitos da pandemia. Tanto o NELAG, como a Câmara Municipal de Lagoa, aguardam que o Governo Regional dos Açores repense a medida e que a próxima resolução do Conselho do Governo tenha esta questão em atenção.

Pub