PUB

A preparação da primeira Passagem de Ano sem restrições ao convívio devido à covid-19 está a ser “uma lufada de ar fresco” para comerciantes, esteticistas, costureiras e cabeleireiras, “sem mãos a medir” em Ponta Delgada, Açores.

Além das habituais festas de passagem de ano em restaurantes, hotéis ou casas de particulares, este ano o Coliseu Micaelense, na cidade de Ponta Delgada, volta a realizar o tradicional baile de ‘réveillon’, no dia 31, que chegou a estar programado para 2021 mas acabou por ser cancelado devido à pandemia.

“Há muita procura este ano. Chegam a telefonar para a loja a perguntar se alugamos ‘smokings’”, disse à agência Lusa Carlos Sá, proprietário de uma loja de pronto-a-vestir no centro histórico da cidade de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

PUB

Além de eventos em hotéis e da tradicional festa de passagem de ano nas Portas da Cidade de Ponta Delgada, o empresário considerou que “o regresso do baile no Coliseu” faz “enorme diferença”.

“É muito bom para o comércio tradicional”, constatou Carlos Sá, indicando que as vendas de camisas para ‘smokings’ e laços para aquele traje masculino “está com muita procura”, depois da queda do movimento por conta da pandemia.

Numa outra loja de pronto-a-vestir a opinião é unânime.

“As pessoas estão a comprar vestidos especificamente para o baile”, referiu à Lusa Márcia Pereira, funcionária numa loja na baixa de Ponta Delgada, indicando que os vestidos de noite têm sido também “uma grande” opção para ofertas de Natal.

Por estes dias, também os ateliês de costura entraram numa azáfama face ao volume de clientes.

“Não tenho mãos a medir”, disse à Lusa Luísa Soares, proprietária de um ateliê na cidade de Ponta Delgada, que, além das clientes habituais, já tem em mãos “arranjos de vestidos para a noite da passagem de ano”.

“As pessoas estão muito entusiasmadas este ano, nomeadamente com o baile do Coliseu”, relatou.

Luísa Soares explicou que tem vestidos para “arranjar” para a passagem de ano, assinalando que “muitas pessoas” optam pela reciclagem ou transformação de peças já adquiridas, talvez por ser mais em conta devido ao aumento do custo de vida.

No ateliê de Cecília Pereira, que dá assistência a três lojas, a quadra festiva de Natal e passagem de ano de 2022, está a revelar-se também “uma boa época”.

“De um modo geral, a passagem de ano não é uma época com tanta procura em termos de vestidos de noite. É mais no Carnaval. Mas, este ano as coisas estão bem melhores. As pessoas estão a comprar roupas para os eventos de passagem de ano e querem modificar peças antigas”, referiu Cecília Pereira.

Com o regresso dos eventos e bailes de passagem de ano, cabeleireiros e centros de estética garantiram também que estão, nesta quadra festiva, a retomar patamares de negócios semelhantes aos anteriores à pandemia ou até superiores.

“As pessoas estão a preparar-se com muito entusiasmo”, relatou à Lusa Helena Claudina Moniz, proprietária de um centro de estética na cidade de Ponta Delgada, onde são disponibilizados serviços de esteticista, manicure, maquilhagem e tratamentos de pele.

Helena Claudino contou que, logo que foram disponibilizados para compra os bilhetes para o baile do dia 31 no Coliseu Micaelense, as clientes “fizeram marcação”.

“Está cheia a agenda até final do mês”, frisou a empresária.

Com a agenda cheia está igualmente outro salão de beleza da cidade de Ponta Delgada.

“Acho até que este ano, em comparação com outros anteriores à pandemia, tenho mais marcações. É fora do normal”, afirmou Sandra Almeida, proprietária de um salão de beleza.

E as solicitações não vão só para os cabelos.

“É maquilhagens. Muitas marcações para manicure e, se pudesse, ainda tinha mais”, constatou Sandra Almeida.

Pub