Pub

Otribunal de Verulam, Durban, rejeitou hoje libertar João Rendeiro sob caução, como pedia a defesa, enquanto decorre o processo de extradição pedida pelas autoridades portuguesas à África do Sul.

Na quarta-feira, o magistrado sul-africano Rajesh Parshotam ouviu durante cerca de três horas os argumentos da defesa, que propunha a libertação em troca de 40.000 rands (2.187 euros), e do ministério público sul-africano, que se opunha.

“A quantia de 40.000 rands não seria nada” para Rendeiro, argumentou, então, o procurador Naveen Sewparsat, aludindo aos 13 milhões de euros de dinheiro do antigo BPP “que ainda não foram descobertos” e que constam no segundo mandado de captura.

Pub