Museu de Angra do Heroísmo promove maratona luso-americana de leitura

A Direção Regional da Cultura, através do Museu de Angra do Heroísmo, promove sábado, 6 de janeiro, em simultâneo com o New Bedford Whaling Museum, nos EUA, e o Observatório do Mar, na Horta, a realização da segunda maratona de leitura da obra “Moby Dick”, de Herman Melville, em língua portuguesa, numa tradução e adaptação de Pedro Alves e Tiago Patrício.

A iniciativa, com início pelas 18h30, tem uma duração prevista de aproximadamente quatro horas.

Paralelamente, terá lugar uma mostra do trabalho do ceramista Adolfo Mendonça, que, no mesmo dia, entre as 14h00 e as 17h00, vai orientar um ateliê de modelagem para crianças, de participação gratuita.

As inscrições para o ateliê infantil e para a participação na maratona de leitura podem ser feitas através do telefone 295 240 800 ou do email museu.angra.agenda@azores.gov.pt.

O programa inclui ainda a participação do Cineclube da Ilha Terceira, que apresentará domingo, 7 de janeiro, o filme “Moby Dick”, realizado por John Huston, com Gregory Peck como protagonista, na sala de cinema da Sociedade Filarmónica de Instrução e Recreio dos Artistas, pelas 18h00.

A Escola Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade também participa nesta iniciativa, assegurando o serviço de bar durante a leitura.

Trata-se da 22.ª maratona que tem lugar no New Bedford Whaling Museum, sendo o terceiro ano em que é feita paralelamente uma leitura da obra em língua portuguesa, na Galeria do Baleeiro Açoriano, envolvendo a comunidade emigrante residente na costa leste dos Estados Unidos.

A leitura deste romance icónico de Herman Melville decorre no âmbito de uma colaboração entre o Consulado Português em New Bedford e aquela instituição museológica norte-americana, que, em 2016, apresentou a exposição “Oásis| Wildlife Photography by Nuno Sá”, em depósito no Museu de Angra do Heroísmo, cuja inauguração integrou a 20.ª edição do evento.

“Moby Dick”, cuja primeira edição data de 1851, narra a viagem da baleeira “Pequod” e as atribulações da sua tripulação, cujo capitão visa destruir um mítico cachalote branco que, num confronto anterior, lhe arrancou uma perna.