Museu Carlos Machado acolhe importante espólio de Canto da Maia

A Direção Regional da Cultura, através do Museu Carlos Machado, recebe quarta-feira, 17 de janeiro, a título de depósito por tempo indeterminado, um importante espólio do artista micaelense Ernesto Canto da Maia, que inclui pinturas, gessos, álbuns de imagens e postais, indumentária e objetos de uso quotidiano, assim como um assinalável acervo documental, onde se incluem cartas, cadernos de notas e diários.

Este depósito, que o Museu acolhe enquanto lugar da memória e identidade, resultou da vontade dos herdeiros de Canto da Maia, nomeadamente da sua filha Marie Canto da Maia, e demonstra uma elevada consciência cívica e patrimonial, bem como a preocupação de assegurar a preservação deste espólio.

O Museu Carlos Machado expõe desde 2012, com caráter permanente, no Núcleo de Santa Bárbara, em Ponta Delgada, uma das mais significativas coleções do trabalho artístico de Canto da Maia.

Esta exposição inclui mais de 30 obras do escultor, incluindo “Adão e Eva (Hino do Amor)” e “Bendito seja o Fruto do Teu Ventre”, assinalando as várias fases do seu percurso artístico.

Canto da Maia, uma das figuras de maior relevo no panorama artístico nacional da primeira metade do século XX, granjeou projeção internacional e tem presença em notáveis coleções e museus.

O Museu Carlos Machado expressa o seu reconhecimento por este gesto da família de Canto da Maia e pelo inequívoco interesse na preservação deste espólio, que permitirá enriquecer o conhecimento sobre a vida e obra de um dos escultores mais proeminentes do modernismo em Portugal.