Pub

A Câmara Municipal da Horta bateu, no mês de outubro, o recorde de quantidade de papel/cartão entregues no Centro de Processamento de Resíduos no Faial (CPR), considerando os dados existentes desde a abertura desta infraestrutura em 2015.

Assim, em outubro, a Câmara Municipal da Horta entregou 76,56 toneladas (ton) de papel/cartão, superando a quantidade máxima entregue até então, que remonta ao passado mês de fevereiro, com o valor de 59,16 ton.

No ano de 2022 (dados até outubro), o Município já recolheu 452 ton de papel/cartão, mais do que em todo o ano de 2021 (426,36 ton).

De recordar que os resíduos indiferenciados recolhidos pelos serviços municipais são recebidos no CPR, mediante o pagamento de tarifas fixas, estipulados pela Portaria nº19/2019 de 13 de março, determinadas mensalmente em função da respetiva taxa de recolha seletiva dos resíduos urbanos recicláveis de papel, cartão, plástico, vidro, metal e madeira, e biodegradáveis alimentares e de espaços verdes. Ou seja, quanto mais resíduos provenientes de recolha seletiva o Município recolher, menos paga por Ton de Resíduos Indiferenciados.

No mês de outubro a taxa de reciclagem atingida pelo Município da Horta foi de 26,85%, o que implica que a Câmara Municipal pagou 25€, por cada tonelada de resíduo indiferenciado entregues no CPR do Faial, que neste mês foram 415,28 Ton.

Tratando-se de uma área prioritária e de grande relevância para o concelho, o Vereador com o pelouro do ambiente e gestão de resíduos adiantou que foi aprovado um reforço do quadro de pessoal, na última Reunião de Câmara, nomeadamente 4 postos de trabalho para a subunidade Ambiente e Resíduos Sólidos Urbanos, da Divisão de Serviços Municipais e Ambiente.

“Face ao aumento do volume de trabalho na recolha de resíduos, torna-se necessário dotar a autarquia de recursos humanos próprios e permanentes”, por essa razão, entende Eduardo Pereira que “é imprescindível a autarquia melhorar e reforçar o serviço que presta ao cidadão, com políticas de recrutamento estáveis de novos colaboradores, dando uma adequada resposta às efetivas necessidades do Município”, concluiu.

Pub