O cantor Roberto Leal morreu na madrugada de hoje em São Paulo, no Brasil, disse à agência Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

“Queria dizer que se trata de uma perda profunda para a comunidade portuguesa, para a que vive no Brasil e mais especificamente em São Paulo”, disse à Lusa José Luís Carneiro, adiantando que Roberto Leal era um símbolo da simbiose entre a música tradicional e popular portuguesas e as várias manifestações culturais existentes no Brasil.

O cantor Roberto Leal – nome artístico de António Joaquim Fernandes – emigrou para o Brasil aos onze anos, em 1962, juntamente com os pais e nove irmãos.

Em São Paulo, após trabalhar como sapateiro e vendedor de doces, iniciou a carreira de cantor.

Presidente da República recorda cantor “com amizade”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recordou hoje “com amizade” o cantor português Roberto Leal, que morreu aos 67 anos, no Brasil, e sublinhou “o seu papel junto das comunidades portuguesas”.

“O Presidente da República recorda Roberto Leal com amizade, lembrando o seu papel junto das comunidades portuguesas, nomeadamente no Brasil, com ligação às suas raízes, durante várias décadas”, lê-se numa nota da Presidência da República, enviada à Lusa, em que Marcelo também expressa as suas condolências à família.

O cantor morreu na madrugada de hoje, em São Paulo.