Pub

“O Hospital de São João comunicou ao FC Porto que Alfredo Quintana faleceu às 12:00 de hoje. O guarda-redes luso-cubano da equipa de andebol, de 32 anos, tinha sido internado na segunda-feira depois de ter sofrido uma paragem cardiorrespiratória quando se preparava para iniciar um treino no Dragão Arena”, lê-se no comunicado do FC Porto.

Quintana foi assistido no local do treino com o apoio de uma viatura do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e, posteriormente, transportado para o Hospital de São João, no Porto, onde ficou internado na unidade de cuidados intensivos, depois de ter sido estabilizado.

O jogador, natural de Havana, que adquiriu nacionalidade portuguesa se tornou internacional pela seleção nacional de andebol em 2014, permanecia desde segunda-feira naquela unidade hospitalar, em situação clínica estável, mas com prognóstico muito reservado.

“Contando com diversos reconhecimentos individuais no palmarés, Quintana distinguia-se também pelas qualidades humanas, com destaque para a alegria com que contagiava todos os que acompanhavam o seu percurso. A perda tão dura e inesperada do Homem, mais ainda do que a do atleta, deixa enlutado o FC Porto, que transmite as mais sentidas condolências aos amigos e à família do Alfredo Quintana”, conclui o comunicado do clube.

Pub

A formação ‘azul e branca’, treinada pelo sueco Magnus Andersson, que lidera o Nacional só com vitórias, tinha vencido, no domingo, o Águas Santas, com dois golos de Quintana, e iniciava na segunda-feira a preparação para o jogo com os bielorrussos do Meshkov Brest, que estava marcado para quarta-feira e foi adiado.

Vários clubes e pessoas ligadas ao andebol, e a outras modalidades, solidarizaram-se com Quintana, tendo Benfica e Sporting, os maiores rivais do FC Porto, entrado em campo com o nome do guarda-redes internacional português escrito nas camisolas, o que motivou um agradecimento público dos ‘dragões’.

Quintana, que em 20 de março completaria 33 anos, ingressou no FC Porto em 2010, tendo-se tornado uma das grandes referências do andebol do clube, pelo qual se sagrou seis vezes campeão nacional, nas épocas 2010/11, 2011/12, 2012/13, 2013/14, 2014/15 e 2018/19.

O guardião, de 2,01 metros, conquistou ainda uma Taça de Portugal, em 2018/19, e duas supertaças nacionais, em 2014 e 2019, tendo iniciado a carreira na seleção lusa em 2014, pela ‘mão’ do selecionador Rolando Freitas, durante a qual participou em 67 jogos e marcou 10 golos.

Quintana assumiu-se como uma das figuras incontornáveis da modalidade em Portugal, tendo contribuído decisivamente para a obtenção do sexto lugar do Europeu de 2020 e o 10.º lugar do Mundial de 2021, as melhores classificações da equipa das ‘quinas’, sob o comando do treinador Paulo Pereira.

Presidente da República considera que desporto fica mais pobre

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou hoje a morte do guarda-redes internacional português do FC Porto Alfredo Quintana, considerando que o desporto fica mais pobre.

“O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa lamenta a morte do guarda-redes da seleção nacional de andebol Alfredo Quintana”, lê-se mensagem divulgada no sítio oficial da Presidência na Internet.

Marcelo Rebelo de Sousa recordou que Quintana “nasceu em Cuba, mas naturalizou-se português e granjeou um invulgar respeito e admiração entre os seus pares”.

Federação lembra andebolista que “nunca deixará de estar na memória”

A Federação de Andebol de Portugal (FAP) manifestou hoje condolências pela morte do guarda-redes Alfredo Quintana, que “nunca deixará de estar na memória de todos que o acompanharam” no FC Porto e na seleção nacional.

“Sem palavras. Há notícias que não devíamos ter. O Alfredo Quintana deixou-nos de forma abrupta. Não merecia. Não é justo. Deixa de estar em campo, mas nunca deixará de estar na memória de todos os que o acompanharam”, lamentou o presidente Miguel Laranjeiro, em declarações publicadas no sítio oficial da FAP na Internet.

Alfredo Quintana morreu hoje, aos 32 anos, após sofrer uma paragem cardiorrespiratória na segunda-feira, durante o treino dos ‘azuis e brancos’, ao serviço dos quais conquistou seis campeonatos, uma Taça e duas Supertaças.

Universidade do Porto ‘despede-se’ do antigo aluno e “eterno campeão”

A Universidade do Porto lamentou a morte hoje do andebolista Alfredo Quintana, mais do que um dos melhores guarda-redes do mundo, um “membro da família”, antigo aluno da sua Faculdade de Desporto.

“Para nós, era muito mais do que um dos melhores guarda-redes de andebol do mundo. Era um membro da família… Até Sempre Alfredo Quintana (1988-2021), alumnus da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto”, assinalou a Universidade.

Uma mensagem partilhada também pela Faculdade de Desporto, num texto acompanhado por uma fotografia do guarda-redes do FC Porto e da seleção portuguesa.

Pub