Ministério do Mar quer criar conselho nacional para a qualificação de profissionais

O ministro do Mar disse hoje querer criar um conselho nacional para a qualificação de profissionais na área do mar, de modo a “identificar as áreas estratégicas” e ter um catálogo nacional sobre os profissionais qualificados.

“No âmbito do Ministério do Mar, pretendemos criar conselho nacional para a requalificação específico para o mar que identifica áreas estratégicas e atualize regulamentarmente o catálogo nacional de qualificações”, afirmou Ricardo Serrão Santos.

O governante falava na inauguração da Escola do Mar dos Açores, na Horta, que decorreu durante a manhã de hoje.

O responsável também disse que o ministério irá apoiar a “qualificação” dos pescadores portugueses, salientando que a pandemia da covid-19 irá obrigar “vários setores da economia do mar” a “restabelecerem-se” e a “reinventarem-se”, sendo que, a escola do mar dos Açores poderá ter um “papel preponderante” nessa reinvenção.

“Um projeto com uma visão muito mais ampla, multidisciplinar e aberta ao mundo, que visa Portugal no seu todo, que visa o espaço europeu, a Macaronésia e os países de língua oficial portuguesa”, afirmou Serrão Santos, referindo-se à Escola do Mar.

Na ocasião, o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, anunciou um investimento de um milhão de euros para a criação de um “verdadeiro ‘campus'” na escola do Mar, através da “recuperação dos quatro blocos de apartamentos”.

Vasco Cordeiro referiu que o investimento irá permitir “apoiar formadores e formandos de outras ilhas da Região, do continente e do estrangeiro que se desloquem ao Faial” e anunciou que a escola irá ter um “parque de limitação de avarias, o qual será a mais moderna infraestrutura do género no país”.

“Um orgulho, desde logo, pelo facto deste investimento da responsabilidade Governo dos Açores de cerca de 7,6 milhões de euros trazer em si mesmo o sonho e a ambição, ambos justificados, de vir a constituir um dos melhores estabelecimentos de formação nesta área”, declarou Cordeiro, referindo-se ao investimento total na Escola do Mar.

O presidente do Governo referiu que a Escola do Mar irá arrancar no “próximo ano letivo, ou seja ainda este ano civil”.