Pub

O Museu de Angra do Heroísmo apresenta na Igreja Matriz de São Sebastião, de 24 a 29 de julho, por ocasião das festas em honra de Sant’Ana, uma mostra de pintura e peças em pedra, depositadas no Museu, que permitem recuperar a memória desta igreja, cuja edificação remonta ao século XV.

A par de dois merlões que faziam parte do parapeito da torre sineira da Matriz de São Sebastião, antes da igreja ter recebido o atual fecho em pirâmide após o incêndio de 1789, estará também exposto o painel ‘São Sebastião’, atribuído ao Mestre de São Sebastião de Angra (1450), recentemente submetido a uma profunda intervenção de conservação e restauro.

Este painel, em que se pode ver Sebastião consolando os gémeos Marco e Marceliano, feitos prisioneiros devido à sua conversão ao cristianismo, integrava parte do antigo retábulo da capela mor da igreja, quando esta foi ampliada e reconstruída em 1568, conjuntamente com outros dois, da autoria do mesmo mestre, denominados ‘Martírio pela Sagitação’ e ‘Martírio pela Flagelação’.

A mostra decorre no âmbito do projeto Museu Afora, em parceria com a Vilamostra – Mostra de Atividades e Produtos Locais – que pretende apresentar fora da instituição obras ou artefactos especialmente relevantes para a comunidade, associando-lhe informação que explicite o seu valor patrimonial, histórico e afetivo.

Na terça-feira, 24 de julho,, pelas 21h30, será apresentada uma comunicação intitulada ‘Os Rostos da Matriz de São Sebastião’, a cargo de Eugénia Silva e Paula Romão, da Divisão de Património Móvel Imaterial e Arqueológico da Direção Regional da Cultura.

Nesta comunicação, através de um breve percurso por imagens, serão apresentadas épocas marcantes para a história da Igreja Matriz de São Sebastião, como imóvel e como detentora de património móvel e integrado, contextualizando-se o programa decorativo original por via do belíssimo conjunto de frescos parietais e evidenciando-se o conjunto de pintura sobre madeira, executado localmente nos finais do século XVI.

Pub