Pub

O Secretário Regional dos Transportes, Turismo e Energia, Mário Mota Borges revelou hoje, em Ponta Delgada, que, na véspera do arranque da “Tarifa Açores”, já existem “cerca de 8.200 reservas efetuadas” e, conforme a procura venha a evoluir, “a SATA tem várias soluções alternativas para atender” aos fluxos de passageiros.

“O Executivo Açoriano teve a preocupação de ter soluções para as várias configurações de procura que viesse a existir”, realçou o governante.

Mário Mota Borges falava após simbolicamente se ter deslocado a uma agência de viagens na cidade micaelense para recolher um bilhete para uma viagem a efetuar na manhã de amanhã, 01 de junho, data da entrada em vigor da “Tarifa Açores”, que disponibiliza passagens de ida e volta de até 60 euros para residentes nos Açores.

Sobre a “grande procura” registada nos primeiros dias de vendas, o governante assegurou: “A SATA tem soluções que podem passar pela reafectação da frota existente ou o aluguer de aviões, visando acrescentar a oferta tal a procura o justifique”.

Porém, no cenário atual tal não se justifica que haja uma solução para uma procura máxima, entende o Secretário Regional com a tutela dos Transportes, sendo que a situação orçamental da transportadora Açoriana obriga também a uma contenção de custos.

Quanto à captação de turistas madeirenses, o governante desmente críticas de que a promoção nos Açores não esteja a ser feita, e deu como exemplo a “a chegada amanhã ao porto de Ponta Delgada de um cruzeiro oriundo do Funchal”.

“Este é um sinal claro de que estamos a fazer o necessário para que a comunicação entre os Açores e a Madeira esteja a acontecer”, frisou.

Os residentes nos Açores que fizeram reservas para depois do dia 01 de junho e pagaram um preço que não a “Tarifa Açores”, podem requerer junto da SATA a diferença de valores, declarou ainda Mota Borges.

Pub