“Deixem-me dizer, de coração aberto, como me sinto profundamente honrado e agradecido por essa confiança em condições tão mais difíceis do que as de 2016”, declarou Marcelo Rebelo de Sousa, num discurso feito no átrio da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde foi aluno e professor.

O chefe de Estado, reeleito com o apoio formal de PSD e CDS-PP, manifestou “gratidão pessoal” aos portugueses, partidos e grupos de cidadão que o apoiaram, mas estendeu este agradecimento também aos que não votaram nele, considerando que “sabem que o Presidente é um só e só um e representa todo o Portugal”.

No início da sua intervenção, Marcelo Rebelo de Sousa referiu os dados de novos casos de infeção, de internamentos e de doentes com Covid-19 nos cuidados intensivos, acrescentando: “Para eles, assim como para os mortos não covid destes quase onze meses de provação, vai o meu, o nosso primeiro emocionado pensamento”.