“Tenho por hábito não comentar no estrangeiro o que se passa em Portugal, mas aqui, sentindo o que sentimos, percebemos que é tudo relativo, muito relativo. Aquilo que parece muito importante, muito grave num dia, numa semana, num mês, daí a uma semana, um mês, seis meses, já ninguém fala disso”, afirmou o chefe de Estado, após uma visita em ‘passo de corrida’ às pirâmides de Gizé.

Marcelo Rebelo de Sousa falou aos jornalistas enquadrado pelas milenares pirâmides de Gizé e pela sua famosa esfinge sem nariz para fazer um balanço da visita de Estado de três dias ao Egito, que termina hoje, acabando também por comentar a situação política em Portugal.